terça-feira, abril 26, 2011

Fragmentos dos Sinos

Frase que deu vontade de falar em Bells

Para o Toby Martin
Bicho, voce é bem melhor de assistir como apresentador do que era como surfista.

Rewind

Me perdoem a memoria aguçada, mas Bells é um desses eventos que não se esquece facil.
Curren 1986 e 1990 ocupava muito melhor os espaços e desenhava mais bonito que Parko e amigos.
Occy em toda carreira surfou de backside mais do que qualquer um (exceto por Wayne Lynch) sonhou em surfar aqui- e ainda hoje, 2011!
Posso escrever cinco paginas explicando como o volume das pranchas e o jeito de atacar a onda no final dos anos 80 e inicio dos 90 deixaram o surfe mais vistoso e estetico.
A prancha fina e sensivel demais arruinou a linha em ondas como Bells.
Slater pode mostrar nesse evento o quanto equipamento conta em telas tão amplas e vastas.
Tenho saudade do bico que ele ostentava por volta de 94/96...
Talvez o futuro do surfe esteja no passado, trancado a sete chaves pra ninguem descobrir a fraude.

Sim, Bobby e Owen recuperaram alguma fé no surfe de backside e Jadson mostrou que, sem saber que era impossivel, foi la e fez.
Mineiro bloqueou o jogo psicologico do Careca e sucumbiu a propria pressão de superar o desempenho mais esperado do campeonato.

Jodie Cooper, sempre tão feroz e cheia de si nos comentarios, voltou a ser a criatura fragil e solitaria na festa de encerramento.
Senti pena.
Acabada a cena toda, muitos dos personagens que exerecem algum poder durante aquela que é a semana das suas vidas voltam para sua existencia triste e insignificante até o circuito voltar e lhes emprestar alguma razão de viver.
O diario dos sinos não termina ainda, há muito que ver e fazer.
Um swell de quase 20 segundos e Melbourne, a San Francisco da Australia para descobrir.
Falando em San Francisco, haverá alguem mais radiante que Charlie Smith com a localização do The Search 2011 ?
Imagino o frisson na redação da Stab quando foi anunciado...

11 comentários:

Anônimo disse...

Excelente Julio, arrebentando como sempre nos comentários, sem falar nas informações de bastidores trazidas ao conhecimento da galera na transmissão. Boa Marreco!

Bruno Rozenbaum

Anônimo disse...

Fico imaginando quais desculpas serão construídas para explicar o fiasco do careca.Posso estar errado mas a semi minero X joel, ao menos nos heats on demand, o mineiro atacou mais porém, sei lá...Bomk mesmo foi ouvir J.A & P.T na transmissão...

Abraxx

Fiapo

Ignatius O. disse...

Marreco, quanta amargura, ano passado vc se mostrou mais feliz.

O campeonato foi morno mesmo, exceto por uma ou outra bateria (Jordy x Robertson)e três ou quatro performances que de alguma forma surpreenderam ( Mineiro, Davidson, Wright e Jadson), o Mick e o Joel nunca foram incomodados, mesmo sem mostrar novidades.

A o`neill deveria contratar um top dos 80/90 para dar uma força ao Jordy, fora isso é esperar pela volta do DR.

ou não...

Luca Atalla disse...

Bom pacas. Não só este, mas todos os espalhados por twitter, hardcore, Goiabada... Rei das metáforas, a do tapete vermelho reinou.

Acho muito romantismo colocar o surf do Curren num patamar maior que os atuais craques. Bem, duas coisas: a primeira é que vc entende mais que eu, a segunda, é que as memórias são sempre melhores do que os acontecimentos. Então aproveite bem as boas memórias.

Discordo do prognóstico de que o Owen vai ser campeão mundial. Não pelo surf, mas porque não consigo ver um goofy campeão a não ser que mude muito (e rápido) as locações do circuito.

Ossss

Anônimo disse...

Fala Júlio. Acompanho seu trabalho desde a época de competidor. Fico feliz em ver que a aquilo que você plantou lá trás, escrevendo primeiro sobre música, esteja rendendo bons frutos. Indispensáveis suas análises aqui no Goiabada.

Acabada a sessão confete, é hora de remar junto. Que estória é essa de cervejinha pro Shearer? he, he Entra ano, sai ano ele detona os brasileiros. Jornalistas, surfistas, mulheres, ondas nada escapa ao preconceito do "outsider". Sempre faz questão de lembrar que nós é que estamos do lado de fora. Arrogância colonialista. Ano passado, tanto o Edinho Leite quanto você deram uma lição. Mas o cara não aprende. É o melhor texto, apesar das eventuais batatadas pseudo-intectuais, mas joga pra galera aussie.

O Nick Carroll também nos apavorou a vida inteira em tudo o que foi publicação de surf. Ao menos, parece que ele mudou nos últimos tempos. Tá bem mais respeitoso.

A transmissão do Reggae Elis foi triste. O cara foi editor durante anos da Transworld e se prestou ao papel de garoto de recados da Rip Curl. Mais caseiro impossível.

É, o amigão do Mick "SS" Fanning já deve estar pensando no figurino. Dos outros. Heitor Alves que se cuide He, he, he.

Abs. André-SP

marcelus disse...

Também pensei a mesma coisa sobre as pranchas e a performance dos WTGuys nos dias maiores. Mesmo com toda sua elegância, Parko não faz juz ao que Curren fez no passado.

E, graças ao Litmus, pude rever a performance do Occy no Skin. É de matar mesmo. Muito acima da turma atual. E tudo isso a bordo de uma 6'7"...

Abraço. Maxximus

Anônimo disse...

Caralho, Júlio
Tu não cansa de ser saudosista heim.
O surf EVOLUI constantemente e essa porra de surf de linha é coisa do passado. O Tom Curren não consegue chegar nem perto de completar o aéreo que o Jordy dá, mas o Jordy não faz a mesma linha que o Tom Curren em Bell's pq ele não quer, pq não tem graça, é chato surfar assim. É muito mais divertido dar um aéreo ou uma rabetada do que um cutback redondo. É muito mais difícil dar um aéreo do que um cutback. Claro, me esqueci, tu não sabe disso pq tu não consegue dar nem rabetada nem aéreo né?!!? Não sei se tu leu aquela reportagem de que 67% dos surfistas não sabem dar aéreo. Por isso que Bell's é uma das etapas mais chatas de assistir e Trestles é uma das melhores.
Te atualiza, cara. Pq foi por causa de colunas como a tua e a do Fred que eu parei de comprar revista brasileira. Se der onda com certeza vai ser muito mais divertido de assistir a etapa de São Francisco do que a de Bell's inclusive. Ou será que sou só eu que prefiro assistir um aéreo rodando de 2 metros de altura do Dane com um grab maluco do que um rasgadão(sempre igual) do Parko em Bell's?

Olha quem se classificou pro WT ano passado: Josh Kerr, Julian Wilson, Alejo, Raoni e Heitor. (Todos tem o aéreo reverse na manga) Se até os juizes tão vendo isso, Julio, tu também deveria estar careca de perceber essa evolução.

#ChupaConservador

Massa de Água disse...

um cut back em uma onda de 8 pés é bem mais difícil que um revo

Anônimo disse...

Esclarecendo aí... No momento atual do tour, nada vale o repertório futurista mirabolante, se ele não for executado com powersurf e linha definida... Sem essa linha e power, o cara é um truqueiro de bairro, sem lugar nos Tops. Dane, Jordy, Owen, todos tem linha e powersurf associados as manobras futuristas, e ditam o rumo do surf atual.
R.O

NL disse...

"Posso escrever cinco paginas explicando como o volume das pranchas e o jeito de atacar a onda no final dos anos 80 e inicio dos 90 deixaram o surfe mais vistoso e estético."

Julio,

Se pode, escreva as cinco páginas e mande para a SurfPortugal. Se eu pagava para ler, de certeza que lhe pagam para escrever. Estamos a precisar urgentemente de artigos de análise com maior profundidade e menos "pressrelease style".
Não desista, continue escrevendo.

Boas ondas

Anônimo disse...

Caro Júlio;

gostaria muitíssimo de enviar um e-mail para ti. Se puderes enviar-me o seu e-mail agradeço:o meu particular é jcgdf@me.com

meu nome joão Guedes

um abs