terça-feira, fevereiro 21, 2012

Prologo do World Tour

Hasta Brodie...

Apenas 4 dias nos separam do começo da temporada pra valer. Aquela que decide título mundial e faz os quase 500 malucos ranqueados dar tudo por uma chance nos top 32.
2011 foi um verdadeiro turbilhão de altos e baixos e quando tudo parecia terminado, cai uma bomba de efeito moral que imediatamente arrancou a cabeça do suposto homem forte da ASP.
Passados quase 4 meses, a revista australiana de fofocas Stab publicou uma entrevista exclusiva com Brodie Carr, feita naturalmente pelo seu editor, o sempre tendencioso Derek Rielly.
Rielly adora pautas que podem causar desconforto, exceto, claro, qualquer uma que possa o tornar mal visto por um anunciante ou interromper suas relações íntimas com poderosos que lhe emprestam algum valor de mercado.
Vide o que a Stab fez toda vida com Andy.
A entrevista com o ex-CEO da ASP é uma dessas pérolas do jornalismo tapinha nas costas, cada vez mais comum nas revistas que deixam a turma que vende anúncios mandar no conteúdo editorial - aqui e lá.
Logo ao começar, Derek Rielly pinta um Brodie Carr do mesmo jeito que ele tem sido descrito no seu  reinado na ASP, ou seja, um camarada boa pinta com experiência nas Olimpíadas de Sydney que iria salvar o surfe profissional.
A introdução é uma peça de propaganda que deixaria Goebbels (uma mentira repetida mil vezes torna-se verdadeorgulhoso - Rielly chega a mencionar a brancura do sorriso do bonitão das tapiocas, sem deixar de enfatizar que foi Renato Hickel que recomendou o dentista pro bendito clareamento.
Tudo na entrevista parece metódicamente calculado para o leitor desavisado da Stab morder a isca, inclusive a parte, ainda na longa introdução, que destaca a altivez do mancebo ao dizer que em seguida ao desastroso anúncio do título do Slater, Hickel pronto para pedir demissão mas Brodie, sendo Brodie, tomou o que seria a atitude correta e entregou o cargo.
Estava salva a honra.
Um leitor mais atento percebe nas entrelinhas que há algo ali que mesmo diate de tanta manipulação escapa ao entrevistador.
>
Vejam essa resposta:
Qual a primeira coisa que voce diria ao novo CEO ?
Que ninguem é seu amigo. Caro novo CEO, voce não tem o apoio de ninguem. A partir de hoje, ou voce consegue apoio ou está condenado.
>
Belo retrato da organização que ele trabalhou, e defendeu, até levar um pé na bunda - ou se demitir, como divulgado.
A mudança radical do perfil dos eventos do WT, cada vez mais próximos dos festivais a la anos 80 que tanto foi combatido por gente preocupada com a qualidade das ondas independente de qualquer coisa, não debatida.
Fora isso, foi interessante saber que o CEO ganha R$30.000.00 por mês, sem contar presentinhos das grandes marcas e viagens pelo mundo com despesas pagas.
Nos quase seis anos que lá esteve, Brodie nunca demonstrou publicamente qualquer insatisfação, até pelo contrário, cada novo evento era celebrado quase como conquistas pessoais.
Sua absoluta ausência dos momentos chave da temporada passada culminou no tragicômico desacerto de São Francisco e os rumores da sua saída ainda são ouvidos nos corredores dos eventos do WT.

Que venha 2012...com Parko e seu caçula, Marley



4 comentários:

Anônimo disse...

a ASP tinha q arrumar um Dana WHite logo

Surfocrata disse...

já existe alguma indicação de quem assumirá o cargo de CEO?

o novo CEO não deve ter a mesma clemencia por Renato Hickel, não seria a hora de picar a mula?
se não for para picar a mula, deveria aproveitar os anos de experiencia e a simpatia que mtos aparentam ter por ele para tentar algo mais...

não achei 15 mil dinheiros gringos mensais um bom salário.
Um dirigente de federação de handball ou qualquer desses esportes "olimpicos" deve abocanhar isso por mes do comite..., mas concordo que levou mais $$$ do que devia pelo pouco que produziu...

abç

Steven Allain disse...

boa Julio....

Castro Pereira disse...

Ai, ai,ai,ai! Muito boa essa Julião e gostei tbem dos drops na cacimba, Eitcha escriba dropador!