quinta-feira, novembro 26, 2009

Cafezinho e a conta, por favor

[Revista Hardcore #241>cobertura do WT 2009]


Bota ae, com um grande abraço pro meu amigão...

- O que voce faz com esses troços depois ?
Dane Reynolds estava intrigado com o cheque tamanho familia que Mick Fanning levantava na cermônia da entrega dos prêmios.
Mick sorriu sem dar muita bola.
Ainda não foi dessa vez que Reynolds seria carregado nos ombros pelos amigos e faria o gesto classico de erguer taça e checão ao mesmo tempo.
E foi uma pena - alias, pena não, foi quase uma desgraça.
Desafio o leitor a encontrar alma caridosa que não torceu por Reynolds, na praia ou na grande rede (não conta a Dona Liz, Mãe do Mick, nem esposa, parentes e patrocinadores), durante a final da sexta etapa do circuito mundial.
Trestles é uma grande casa de massagem de egos, lotada de cafetões e cafetinas da uma vez milionária e hoje endividada industria do surfe.
Não fosse pelas pedras, cerveja de quinta categoria e meninas desbundadas (com trocadilho), poderíamos estar no meio da Barra, Joaca ou Maresias sem prejuízos.
Bob Hurley, anfitrião da festa, fez seu pezinho de meia como representante da Billabong nos fabulosos anos 80 e quando apagavam-se as luzes dos 90, deu um rabo de arraia na marca que ele mesmo ajudou a crescer e criou a Hurley. Um par de anos depois, vendeu seu nome para a titânica Nike e engordou alguns kilos na conta bancária.
O magnata hoje se diverte peitando as grandes marcas tradicionais do circuito (Quiksilver, Rip Curl e Billabong) triplicando o valor da premiação do primeiro colocado nos eventos onde se envolve.
Alguns dias antes, Fanning quase foi o felizardo a botar as mãos nas 100 pratas, quando entrou n'água contra um patrocinado da Hurley, Brett Simpsom, na final do U.S. Open na praia de Huntinghton, onde mais ? na sempre ensolaradamente clichê Califórinia.
Mick optou pela espera enquanto Simspom surfava onda atrás de onda, colcando Fanning nas cordas desde o primeiro minuto.
Bom lembrar que o campeão mundial de 2007 não estava ali num WQS em Huntinghton a toa - nem ele nem Slater, nem Mineirinho, nem Andy Irons - 100 mil mangos (como diria Aracy de Almeida no juri do Silvio) não é pra qualquer um.
- Se eu tivesse ganho aquela bolada não estaria aqui agora. Teria ido pra (Las) Vegas e feito muita merda. Quando eu tava indo pra final, Kelly falou: não vai dar uma de dama de honra novamente, vai ? Eu disse, nem a pau!
Fanning não esperaria por ondas desta vez, não senhor.
No primeiro dia de campeonato, depois de um mes inteiro pleno de especulações sobre um novo circuito dissidente da ASP e uma possivel puxada de tapete para 2010, Slater nos fez esquecer de tudo com a maior média da primeira rodada naquela forma que nos acostumamos a ver nos últimos 20 anos (nossa! já faz mesmo tudo isso ???), a maior média de todo evento, 18.5.


Slater ao meio dia

Pausa para os numeros

Diga-se de passagem, pelo bem das estatísticas, tão presentes quanto inúteis, que em 2009 pouca gente ultrapassou a barreira dos 18 pontos.
Logo na primeira etapa, a turma ainda com a caneta solta, apenas Dane, Joel (duas vezes e um 19.93 formidável na semi contra Mick), Mick (duas) e Jihad (sim!!!) conseguiram pontuação superior a 18, no mínimo dois noves. Em Bells, só Jordy conseguiu um 18.7.
No Tahiti, Martinez só foi arrumar um na final.
Aqui no Brasil, neca de pitibiribas.
J. Bay teve 4 vezes, Sean Holmes amassando Taj, Bourez atropelando Fanning, Slater passando o trator em Muscroft e Joel sobre Kieran - fora o espetacular 19.20 do Dane contra Holmes nas quartas.


Rasga Mineiro!

E os índios ?

Mineirinho tem tido a sorte a seu lado, depois duma primeira fase torta, teve seu caminho facilitado por Phil Macca (finalista em 2005), Nic Muscroft (quem ?) e Josh Kerr, até parar num Bede Durbridge que me faz cair no sono e lhe devolveu a derrota em casa na primeira etapa.
Já Heitor pegou uma turma da pesada, varou uma bateria morna na primeira fase, passou pelo Jeremy e Damien arrancando aplausos na transmissão pelos aéreos, dedicação e seriedade, quando uma pedra chamada Slater apareceu no seu caminho.
Esse quinto lugar, precedendo a perna europeia pode salvar seu ano.
Jihad perdeu pro Kieran Perrow na repesacagem, o mesmo que ele tinha escovado no dia 8 de março no Quik Pro fazendo maior média do dia.



Mick e sua 5'9'' magica

É a última volta do ponteiro!

Tivemos em Trestles uma série de acertos de contas.
Fanning aproveitou para mostrar ao novato Michel Bourez (lembram o 10 em J. Bay ?) quem manda no pedaço e de quebra deixou seu recado para Slater - foi exatamente contra Slater, ainda em 2006 que ele começou sua corrida ensandecida pelo título de 2007.
Ah sim! Como esquecer do Bob gente boa, vulgo Rob Machado, que com aquela cara de sonso e ar de quem não tá nem aí pra nada, tirou Taj e Parko do Hurley Pro como quem tira uma parafina duma criancinha.
Rob estava por toda parte: na pagina do Facebook da Hurley, na transmissão, nas baterias, promovendo seu filme e tomando conta da filha.
Chama-se isso de otimizar o investimento, seja lá o que isso quer dizer.


O que uma tampinha de privada não faz...

5'7'' Tampinha de privada

Dane Reynolds surfou mais que todo mundo.
Digo e já conserto: em Trestles Dane surfou muito mais que o resto.
Em 2009, o surfista mais insinuante, inovador, empolgante e hipnotico do circuito é Dane, puro e simples, como diriam os gringos, hands down.
No Gold Coast, apesar da vitória do Joel, da final do Mineiro, da super-semi Mick versus Parko, apesar de tudo o desempenho mais progressivo foi do Dane Reynolds.
Sumiu por tres eventos e resurgiu em J. Bay com uma linha e um ataque que deixou o circuito abestalhado.
Em casa, não teve pra ninguem:
- Usei umas 6 pranchas diferentes na semana passada, todas pareciam lentas. Eu tinha a sensação que arrastava um monte de algas... Fui lá na fábrica (da Channel Islands) e peguei essa aqui...uma 5'7'' feita com sobras.
Sempre gostei dessas pranchas esquisitas, mas fiquei grilado dos outros acharem que eu tava copiando o Kelly.
Cada onda surfada por Dane era como um Kinder ovo com uma surpresa dentro.
Uma rasgada sua contra Taylor Knox pode ter sido a manobra do ano.



Grana preta

Cafezinho e a conta...

Fanning tinha aquele olhar de cowboy prestes a sacar sua arma, distante e mortal.
Dane parecia o pistoleiro jovem e promissor que preferia a bebida e as mulheres.
Fanning sacou primeiro, Dane atingiu o pico uma bateria cedo demais.
Mick sobe para segundo, Mineiro para terceiro, perna européia aponta logo ali na frente.
Nos últimos 5 anos, Slater, Parko e MIck já triunfaram na França ou Espanha, Mick precisa com urgência de mais duas vitórias e lembrem-se que em outubro a Rip Curl, patrocinadora do Fanning leva o seu The Serch para Super-tubos em Portugal.
Esse ano pode ficar ainda muito interessante.
Garçom, faça o favor...


White Power!

7 comentários:

Viva La Brasa disse...

Santa Goiabada!

tiberio disse...

goibada da porra! um cafezinho para a batera do bed... e uma cerveja para a do daniel reynaldo!
atentado!

Henrique disse...

Realmene o reynaldo emociona (surfa) melhor que os demais (exclua Slater, dã). A prova disto são que suas partes de filme de surfe apresentam um vasto repertório de manobras muito difíceis. TUDO EM UMA CAÍDA SÓ, EIS A DIFERENÇA.

O cara só não compete tão bem como surfa.

Acho que o maior talento do Parko está em sua leitura de onda (daí vem seu estilo tranquilo, pois já sabe o que irá acontecer, por isso compete mais do que "quebra". (chega a ser ridículo dizer essa frase, mas vamos pensar no universo mágico dos melhores dos melhores do mundo).

Se o Dane tivesse ganho em trestles eu teria ganho no hiscores...

valeu Júlio

sds

henrique

Luciano Burin disse...

Bela resenha Júlio.
Também gostei muito do novo layout do blog, com as fotos "tamanho família".
Keep it up!
abs,
Luciano
www.surfecult.blogspot.com

LUCAS ELIAS disse...

TEXTO ALUCINANTE !!!!

Lucio Mello disse...

Perguntar não ofende:
O que o Mineirinho está fazendo em São Paulo? Porque não está no Hawaii treinando e participando da Triple Crown para ganhar experiência e respeito nas ondas volumosas?

Nico disse...

Excelente ideia esta de colocares aqui os textos da hardcore uma vez que pelo site somos relegados ao nº234 e acabamos perdidos algures na lisiane pires (sera prima?)e amigas...