domingo, novembro 04, 2007

Maraca


Um cara surfando legal

Slater descia em direção a mais uma bateria, mais uma de tantas em 20 anos de serviços prestados ao surfe.
Prancha debaixo do braço, concentrado e determinado, Slater balançou a cabeça sem acreditar no que via.
Em mais de 20 anos acompanhando campeonatos de surfe nunca tinha vista nada igual.
Uma multidão de entusiastas urrava da possibilidade do Octa-campeão Kelly Slater passar entre eles.
Pouca gente na história do nosso esporte se alimenta desse jeito da pressão criada pelo público, imprensa, TV, Políticos e moças, muitas moças enlouqecidas com a possibilidade de casar com uma celebridade.

Depois de 5 longos dias espera, a manhã deste sábado começou morna, sem o swell previsto e o Hang Loose Pro começou as 2:15 da tarde, após tres aflitivas chamadas, uma as 7, outra as 10 e 1 e meia. Eram 2:18 quando Cory Lopez iniciou oficialmente o campeonato com uma esquerda medíocre, surfada com sofreguidão, talvez causada pelos efeitos da espera e suas consequências.
Na segunda bateria Rodrigo Dornelles levantou o público com um surfe tradicional e consistente. A Família Dornelles Paz não via seu filho pródigo surfando assim tão de perto fazia muitos anos. Senhor Cezar, pai de Rodrigo, estava radiante com o desempenho do filho e a reação da torcida na praia.
Taylor Knox classificou-se por um erro infantil do wild-card Simão Romão que cometeu uma interfência e ganhou um dia de descanso.
Jeremy Flores passa por uma excelente fase, será o Rookie of the year da ASP em 2007 sem sombras de dúvida. Flores dominou sua bateria como um veterano e fez a segunda maior média do dia.

O sol saiu foi timidamente saindo, as séries vinham cada vez maiores, com modestos 3 pés quando Joel Parkinson entrou n'água.
O primeiro frisson foi causado por Parko. Sua naturalidade ao surfar as ondas deitadas da Praia da Vila chegava a irritar alguns surfistas, afinal de contas, até ali todos tinham alguma dificuldade em andar naquelas ondas.
Parko fluía como se estivesse em Snapper ou Bells, ignorando todos obstáculos, encaixando manobra atrás de manobra e voando numa junção para enlouquecer a platéia.
O líder e candidato a substituto do Rei Slater quando aposentado Mick Fanning parecia ligeiramente nervoso no início da bateria, impressão afastada na sua terceira onda com um 7.17 e definitivamente esquecida na sua quinta onda, mal julgada (underjudged) de 8.5.
Fanning aplicou dois floaters numa velocidade impressionante, por baixo do lipe, pra depois começar uma sequência de pancadas de backside tão verticais e rápidas que ainda me pergunto se a prancha passava mesmo por trás da sua cabeça a cada porrada.

A área VIP do campeonato abrigava uma fauna diversa, diversa e dispersa, que embebedava-se enquanto Slater remava para sua primeira onda.
Já passava das 7 da noite quando Slater começou seu show.
O que se seguiu foi uma carnificina.
A maior média do dia, sua nota de descarte era um 7.33, uma das maiores do dia.
Toda imprensa presente estava em extase com as possibilidades de manchete: Slater ainda é o rei. Herói local humilhado por Slater
Dez baterias da 16 da primera fase foram embora.
Agora começa o jogo, vale tudo.
Fanning surfou com graça e uma velocidade impressionante, Parko fez tudo parecer fácil, com muita técnica, Slater tinha volume e violência.
Sua tática foi diferente de todos que vestiram a lycra vermelha hoje, os cabeças de chave, sentando embaixo dos outros competidores e pegando tudo que se movia, ao invés de esperar no outside pelas maiores do dia.

A saída dos líderes d'água foi caótica, um torcedor exaltado pegou o boné de Mick Fanning, Slater correu apavorado da multidão e ficou preso na cerca que protege os competidores - Kelly tentou ir pelo outro lado.
Amanhã teremos um dia cheio com as seis baterias restantes e provavelmente toda segunda fase, a previsão muda de hora em hora e as ondas podem aumentar ou diminuir.
Para muitos dos surfistas hoje é dia de perder a cabeça em festas que ainda serão faladas muito tempo depois desse campeonato acabar.

3 comentários:

Anônimo disse...

Que onda de merda essa de Imbituba. Deitada que só ela, melhor ficar atrás (com duplo sentido) da mulherzada mesmo.

Afinal de contas, tirando os surfistas que estão precisando de resultados aqui e a trinca que está disputando o título, algumas noites com uma gaúcha espetacular podem mudar a vida de qualquer um.

Seguimos confirmando a fama de que no Brasil só têm rabo! E cada um que vou te contar...

P.S Ah, a dupla Gabi e Elka ontem na locução foi demais! Grande idéia.

Abs, MR

Anônimo disse...

Muito Bom, Julin.
texto com personalidade e bem escrito.
WCT no sul? imbituba? sei não, mas hj devia ter altas em Saquarema...
abs,
Lulaf

Fazedor de Filmes da Esquina disse...

Acostumado com o monte de lixo produzido durante as coberturas passadas do Dabucetê do Brasil,é até estranho ler, enfim, um relato bacana vindo diretamente do front.

Vamos retomar a campanha: Troquem o Regis Rosni (como se escreve o nome desse cara?) pelo Tio Juio!

Tio Juio para cobertura completa do CT, o ano todo !!!!

PS - Enquete de CARAS: Mico Feio e Cramulho estão resistindo bravamente às niotadas do sul???