segunda-feira, junho 13, 2011

Vale janta


[Coluna Sopa de Tamanco Revista Hardcore/ Coluna Tempestade em copo d'água Revista Surf Portugal]

Cacimba do padre, 15 de fevereiro de 2011

Lista de competidores do Hang Loose Pro, 
Trialistas, Peterson Rosa, Wilson Nora, Danilo Costa, Bruno Santos...
Todos com mais tempo de tubo em Noronha do que a maioria dos surfistas sonha para uma vida inteira.
Vencedor da triagem, Fabio Gouveia, quase 40 anos, shaper, surfista profissional afastado das competições e pai do Ian.
Fia vencer nunca foi novidade. 
Novidade é ele continuar a vencer.
Essa é a vigesima quinta edição do Hang Loose, na primeira, 1986, Fabinho era um amador nordestino muito talentoso, como muitos outros.
Dois anos depois, mesmo diante de gente muito mais bem apoiada, Fia foi campeão mundial amador em Porto Rico e fundou uma nova era do surfe profissional aqui no Brasil.
A partir dele e do impeto do seu patrocinador Alfio Lagnado, o circuito brasileiro, amador ou profissional, já não importava mais. O mundo estava ali para ser conquistado e desta vez não nos faltaria nada.
Em tempos anteriores, as faltava talento, outras coragem, as vezes faltava dinheiro, incentivo, estrutura familiar, mesmo cultura.
Fabinho, ao lado do Teco, tinham tudo isso e mais.
Não podemos esquecer que Victor Ribas arrebentou cedo demais, em 1988 no Meio da Barra, com 16 anos, terceiro no Alternativa, o nosso WT de então. Valerio o arremessou aos leões do circuito logo em seguida, de cabo-frio pro mundo, mas isso é outro papo.
Falamos do Fabio Fabuloso, camarada que criou, desde o principio, seu proprio mercado.
Nos ultimos tres ou quatro anos Fia tem militado em outras praças que não apenas desfilar sua elegancia em cima duma prancha.
Uma delas, nem tão recente assim mas recentemente assumida profissionalmente é Fabio Gouveia shaper. Na temporada havaiana deste ano Fabinho só usou pranchas feitas por ele mesmo.
Ano passado aqui em Noronha ja tinha sido assim e ele foi gentil suficiente para deixar qualquer um que quisesse surfar com seus foguetes.
Não acredito que Fabinho queira afrontar a liderança do Ricardo Martins no mercado de pranchas, antes disso existe uma enorme curiosidade de entender como funcionam de fato as pranchas e, claro, no final das contas de melhorar os dois, prancha e surfe.
Essa vitoria na triagem nos faz crer que ele tem acertado nos dois.
O camarada inquieto tambem cismou de registrar tudo e agora até editar.
Tem um programa no canal Woohoo com sua assinatura, Raieiti sem tripe (Hi-8 sem tripe), possivelmente o mais bem humorado  que há no surfe brasileiro.
Gouveia é blogueiro tambem (hangloose.com.br/blog), dos bons.
Daqueles que escrevem, tiram fotos, filmam e não demoram seculos para publicar a proxima aventura.
Os textos do Fia tem muito da personalidade dele, leve e ao mesmo tempo intenso.
Por tras de toda brincadeira há um sujeito duma disciplina e força de vontade invejavel.
Todo camarada que reclama por espaço para atuar no surfe, seja escrevendo, filmando ou fotografando, deveria prestar atenção no que faz Fabinho.
O cara vive como na canção do Geraldo Vandre, ‘Quem sabe faz a hora, não espera acontecer’.
O shaper, video-maker, produtor, escritor, editor, inventor de bugingangas, fotografo, apresentador e surfista Fabio Gouveia começou a final da triagem com uma nota baixa, 3 e alguma coisa, voltou pro outside e esperou.
Esperou como na viagem de dois dias e meio de busum da Paraiba para competir no OP em Floripa 87.
O cabra hiper-ativo que quase sempre é o primeiro a entrar n’água aqui em Noronha ou em qualquer lugar que visite conteve seus impulsos e esperou.
Esperou como faz em Pipe, no meio dos locais mais furiosos do planeta.
Em algum lugar da sua cabeça cabia ainda a certeza do triunfo.
O tempo escapava pelos dedos quando surgiu imponente a rainha do dia.
E não era qualquer dia, Cacimba do padre, mais de dois metros, torto, pesado, vento errado.
Fia dropou a bomba na Cacimba e todo mundo só sabia falar de Pipeline.
Dias antes, Fabinho abriu mão da sua vaga de wild card e cedeu ao seu filho Ian o privilegio de competir no primeiro prime do ano.
Ontem Fabinho ganhou a triagem e sua vaga.
Cabra bom.

3 comentários:

Luciano Burin disse...

Quanto mais conheço esse cara, mais o admiro!

Fabio Gouveia é um grande exemplo de pessoa e de surfista profissional.

Num mundo em que todo mundo adora apontar o dedo para as falhas dos outros, não se encontra um sem vergonha que tenha algo de mal a dizer sobre ele. E isto já diz tudo!

Já tinha lido este texto na Hardcore, mas sempre vale a pena reler algumas sa'bias palavras de elogio a quem merece. Boa Júlio!

Ivo disse...

Ae Julio, manda o tel para encomendar os foguetes do Fia.
Vai pra Jefreys?

Anônimo disse...

O PROFESSOR ENSINA PELOS LIVROS,
O MESTRE ENSINA PELAS ATITUDES.
FABINHO NÃO APENAS É MESTRE EM SURFAR A ONDA, COMO TAMBÉM É, EM SURFAR A VIDA, E É JUSTAMENTE POR ISSO, QUE ATUA COM TANTO BRILHANTISMO EM TODAS AS ÁREAS QUE RESOLVE ATUAR.
CABRA BOM SIM SENHOR!!!

RODRIGO OSBORNE