sexta-feira, outubro 29, 2010

No Education

Taylor Steele é pra mim um grande cara de pau.
Atras da pose de bom moço com o conhecido discurso do 'quero apenas me divertir' habita um vivaldino de marca maior.
Steele não tem a menor vergonha de se apoderar das referencias sem sequer cita-las.
Por outro lado, ninguem no mundo do surfe foi capaz de ler tão bem as necessidades do mercado dos videos.
Sua importancia é muito maior como genio da (propria) propaganda do que como diretor.
Seus ultimos filmes mostram o quanto Steele é atrasado esteticamente e como lhe falta habilidade para contar uma simples historia.
Depois de quase 20 anos do seu primeiro filme, Momentum, Steele continua no mesmo lugar onde começou, um mero editor de clipes com tino comercial aguçado.
O que detonou essa reflexão foi o trailer do seu novo projeto, outra ideia esperta do malandro, o Innersection.
Usar a canção do Pink Floyd no teaser não foi uma escolha gratuita.
Taylor Steele conhece como poucos a historia recente dos videos de surfe e descaradamente afana Another Brick on the Wall da abertura de uns dos melhores filmes dos anos 80, The Performers.
Uma mensagem do comparsa do Steele, Nathan Myers, (auto) celebra a realização de mais uma cartada, novamente sem citar a fonte onde bebe.
Em terra de cego, quem tem um olho é best seller.

Innersection Movie Trailer 1 from INNERSECTION on Vimeo.




Nota no pé da pagina
- Maravilhas da blogosfera, um sujeito nota mil e quinhentos disponibilizou o Performers pra plebe.
Clica aqui e corre pro abrazzo

10 comentários:

Maurio Borges disse...

Sabes que dias desses estava pensando: Qual a diferença do Taylor para o camarada Bruno Bez (cinegrafista e videomaker) aqui de Floripa. Não vejo nada de diferente nos filmes desse cara que tem uma legião enorme de seguidores e babadores...

Resposta:Duas.

Taylor é amiguinho dos tops e mora fora. Bruno vive aqui em Floripa e faz videos muito bem feitos, originais e com um refinamento como poucos.

Aí, o que manda (diferença) é o marketing pessoal e o oba-oba da turma de estrelas...

Abração!
MB

fazedor de Filme da Esquina disse...

Juio,

essa foi 'transmimento de pensação'.

assistindo Castles in the Sky ontem, fiquei pensando exatamente como a maior qualidade do cara é ser um grande marketeiro - pro bem e pro mal.

sou fã de quase todos os filmes dele.
mas fico bobo de ver que o cara não evoluiu quase nada em 20 anos.

tem 200 caras no mundo - sim, no brasil tb - com mais competência técnica, mais bagagem artística e muito mais bom gosto e bom humor.

mas ainda assim, um produto do taylor atropela todo mundo nas prateleiras. o que é mérito dele...

Anônimo disse...

Taí, gostei!

Tudo bem que os filmes do sujeito são edições fracas de clipes de bons surfistas, mas onde está escrito que uma vez utilizada uma música de abertura por quem quem quer que seja, todos os que vierem depois (20 ANOS DEPOIS) ficam impedidos de fazer o mesmo sem expressa citação, "por deferência", da "fonte primeira", sob pena de ser considerado um "cara de pau"?

Se um sujeito ganhasse uma bateria por conta de um floater animal do terceiro andar, deveria citar expressamente e agradecer a existência de Martim Potter? Talvaz pagar-lhe royalties?

Que mania de ver cabelo em ovo...

Leonardo

Anônimo disse...

mas ovo até tem cabelo!

Felipe Siebert disse...

eu fui até o loose change e parei por ali...

destro do estilo, é legal... mas fica só nisso...

Anônimo disse...

impressionante mesmo é como de uns tempos pra ca ele vem se promovendo...
o cara é um nerd, sempre foi e sempre será, mas agora comecou a promover a propria imagem com materias escrita por esse nathan myers que pra mim é outro ridiculo...

mc disse...

e quem é que não se promove?

Luciano Burin disse...

Julio,

Como sempre você colocou o dedo na ferida.

O Steele atingiu o ápice da estética videoclipe de surf em suas ultimas produções.

Pessoalmente curto muito os trabalhos como Sipping Jetstreams e Castles in the Sky, pela inegável beleza das imagens e trilha sonora responsa na maioria das vezes.

Seu estilo criou uma escola de seguidores e ele realmente virou um mestre do marketing e da promoção.

Mas realmente, se tem uma coisa que ele ainda não aprendeu até agora é contar uma história.

abs,
Luciano

Anônimo disse...

Julio,

Obrigado por provar que existe vida inteligente com água salgada nas veias.
Mais uma vez parafraseando o mestre Millôr:
...em terra de cego quem tem um olho enxerga...

Abrassão

Ricardo

Anônimo disse...

Acho importante termos nossa opinião, mas não esqueça de se olhar no espelho antes de desmerecer o trabalho de alguém.

Seja marketing, talento, conhecimento da panelinha...O cara fez o que fez o que fez, e se existem tantos videomakers hoje em dia, garanto que ele foi muito importante na influencia deles, se não for pelo estilo de edição e imagens, que seja pelo exemplo que ele deu ao tentar algo novo e mudar toda uma geração de surfistas e criar idolos.Pois foi o que ele fez, enquanto muitos preferem sentar e escrever idiotices egocêntricas a respeito dos outros num blog.

Nathan Myers é outro que merece respeito pelo seu trabalho, é um artista, e esta sujeito a pessoas que se julgam artistas e o desmerecem sem saber o que estão falando.

Fico muito decepcionado com isso tudo...
Sem falar que temos um surfista ''brasileiro'' no Innersection, ao lado de caras como Kelly, Parko, Kerr, Marzo, John John, Cory Lopez e muitos outros, e você não foi capaz abaixar o nariz e parabeniza-lo por esse fato HISTORICO.Será isso a famosa panelinha da qual vocês tanto falam mal?

Obrigado por provar mais uma vez que surfista brasileiro tem uma cabeça pequena e insiste em se achar dono da razão sempre.

Abram os olhos, e enxerguem além da turminha de vocês.

abs