quinta-feira, outubro 07, 2010

Diario da Terrinha

Com cocada
batucada para ti
abacaxi e goiabada
o fado é bom p'ra xuxu.


Música: Frederico Valério
Letra: Amadeu do Vale




Perdida aqui a grande oportunidade de começar o diario lusitano com frase do Fernando Pessoa.
Quando aqui estive pela primeira vez em 1990, logo comprei um livro do Pessoa para iluminar meu caminho.
Qualquer coisa que me afastasse daquele bando de gente que só se interessava por pizza e Coca-cola servia e Pessoa era um oasis e uma fonte.
Minha experiencia em Portugal nunca foi trivial.
Na segunda vez, 1993, ja com auxilio dum amigo que tinha feito brevemente na temporada que passei na California, aprendi um pouco mais sobre esse país fascinante.
Portugal divide-se em dois momentos pra mim, antes e depois do João Valente.
A partir da amizade com Valente construi uma rede solida de amigos que dura e aumenta até hoje.
Em 1996 Valente deixou o apartamento em Cascais comigo e Pepe. Aquilo era um santuario com todos discos, livros e filmes que deveriamos ler, ver e ouvir.
Assistimos Occy ressurgir no Guincho, Matt Hoy vencer na Figueira e Slater iniciar sua maldição em Portugal.
Voltei repetidamente e cada vez acreditava mais que aqui tambem é meu lugar.

100 anos da Republica

Primeiro grande programa em 2010 foi o baile da Republica, ao ar livre, na Fonte Luminosa.
Dançamos, eu, Mares e mais centenas de jovens de 80 anos e senhores de 8, toda noite ao som do Real Combo Lisbonense, conjunto do Mario (que Mario ?).
Dias antes de chegar, enviei uma mensagem pra ele, reserva a data...
A resposta veio imediata, dia 4 tem show do Real Combo, de graça! com a Orquestra Imperial.
Real Combo é a resposta portuguesa ao conceito da Orquestra Imperial, reunir um grupo de amigos musicos para resgatar canções uma vez amadas e esquecidas.
Dada a ocasião da festa, os convidados eram tão variados quanto inusitados para um casal de brasileiros ignorantes da historia da canção portuguesa.
Mais tarde nos bastidores, Mariachi disse, a culpa disso é tua. Maldita segunda feira que voce me convenceu a ir ao Ballroom ver a Orquestra Imperial...
Seu Jorge, Amarante, Thalma, Nina e um time de convidados que botava a turma pra pular sem parar até as pernas bambearem.
Mario não faltou mais a uma segunda feira e mais, virou fregues da Tracks, lojinha do Heitor no Baixo Gavea.
La conheceu e comprou LPs do Ivan Casanova e Mike Falcão, pseudonimos do Walter Wanderley.
De volta a Terrinha Mariachi criou o Real Combo Lisbonense, um passinho a frente xifaizfavoire.
O ciclo esta completo.
Portugal pra mim é uma porta emperrada e barulhenta que não se fecha nunca.


4 comentários:

Pedro Cezar disse...

Que texto bonito do cacete!! Internet rules!!! Li num hotel sarapa aqui no centro de BH.
Ontem pensei muito neesa Terra. Enquanto estava no trono folheava uma surfe portugal velha que listava as 15 melhores ondas daí. Conheço algumas. Como amo esse país e tudo que meus amigos me mostraram nele.
Vou botar aspas na última frase e sai amostrando por aí: "Portugal pra mim é uma porta emperrada e barulhenta que não se fecha nunca."

abs

p.s. Ronaldo ainda teve sorriso pra dizer safaradim obrigado!

Anônimo disse...

Ùnico
iria começar assim meu retorno..
cada leitura um deleite
falaria (e continuo falando) da época em que lia livros do paulo coelho e adorava seu jeito de escrever. Lendo o livro O mago, me dei conta do quanto ele não foi aceito no meio cultural por ter sido considerado cópia de muitos escritores de diferentes épocas. Como não conhecia (e continuo não conhecendo, em grande parte) as referencias que faziam influencia ao estilo de paulo escrever, absorvia saboreando cada frase, palavra, letra...
MACACO VELHO, gato EsCALDado...
a sensação da leitura dos textos de julio é unica, assim como fred..o túlio vem aí, e nem me importo se seja ou não, e isso eu digo, seja coisa da minha cabeça...o quanto que marreco tenha de Derek Hynd, pois desse só conheço o mito, a história, e a lembrança de ja ter sim, quando criança, ter lido numa revista antiga a sua analise dos tops...
Agora atacando no webcast, viva...

Mas então,
eis que eu começo a ler os comentários e vejo um cabra, que senão me engano é um fera da cultura surf no Brasil, me relatar que estava lendo uma revista portuguesa no trono...fazendo o que, meditando???
cara...nao faz mais isso, imaginei vc no trono lendo revista...que besteira, nem li o resto..
Tubaldo

Anônimo disse...

Que vontade de conhecer Portugal!
Um dia eu chego lá. "Navegar é preciso;viver não é preciso."

abraço,
Lobo

Claudio da Matta disse...

Que história legal, Julio! E que legal também essas coisas, que vêm e vão, de Portugal pra cá, e de cá pra lá. Ainda que não seja fã da colonização que sofremos, mas que, de qualquer forma, deu no Brasil de hoje, que a gente por vezes odeia, mas acima de tudo tanto ama. Abraço!