domingo, abril 11, 2010

Bar 20




{Lobo mandou mais um texto pro Goiabada e do jeito que vamos, vira colaborador frequente.}


O mar estava bom em Ipanema. A água gelada e o nevoeiro afugentaram a galera, que mal conseguia enxergar as ondas. Liguei para o Júlio e Mellin para ter companhia naquele domingo, mas ambos deviam estar viajando. No calçadão, encontrei Marquinho Fanho¹ empolgado com os tubos correndo livres.
Surfamos sozinhos por duas horas, eis que surge de dentro do horizonte uma figura espantosa.
Cabelão, barba, vestindo uma espécie de pano ou bermuda toda rasgada para encarar aquela água gelada, o velho do longboard parecia vir de outro mundo.
Ficamos tensos com a aparição daquela entidade. Para amenizar o clima, resolvi tentar dar uma descontraída:
_ Por acaso o senhor é o pai do Donavon Frankenreiter?
_ Eu sou o Pai, o Filho e o Espírito Santo_ respondeu soberano.
De sacanagem, eu ia dizer “Amem”, mas amarelei. Cá entre nós, confesso que sempre me borrei de medo dessas coisas, desde que fiz a brincadeira do copo. Nessa altura, os olhos de Marquinho brilhavam com aquele momento mágico, com o surgimento daquela figura vinda do Céu, ou do nevoeiro, tanto faz.
_ Senhor, Tenho tantas indagações a fazer? _emendou Marquinho, extasiado com o encontro divino que lhe abençoava.
Fiquei comovido com a emoção de Marquinho. Para quem não sabe, Fanho foi menosprezado por seu criador que, a contrario sensu, afirmou que se o Brasil tivesse sido colonizado pelos ingleses, ele seria um cara “bem apresentado, educado e formidável” como Mick Fanning. Então, ali estava a grande oportunidade para ele passar a história a limpo.
_ Senhor, porque você puniu o Brasil com uma colonização portuguesa?
_ Marquinho, não foi uma punição. É uma longa história. Aqui, no meio dessas ondas não dá. Vamos ali para o Bar Vinte que entre uma caipirinha e um bolinho de camarão eu explico tudo.
_ Mas Senhor, como podes falar assim?
_Marquinho! Eu sou Deus² mas não sou santo, e as caipirinhas do Bar Vinte são divinas.
Ufa! Que alívio! Deus era um tremendo gente boa. Cara sensível, super atencioso com as angustias do Fanho. Como não perderia, por nada, aquela história, emendei de prima:
_ Vamos com tudo e deixa que o dízimo fica por minha conta.
Fanho não gostou e pediu mais respeito com o Todo-Poderoso.
Depois de várias caipirinhas servidas em uma mesinha na calçada do Bar Vinte, apreciando a natureza abundante que por ali aflorava, Deus começou a pregar:
_Isso que é terra boa! Olha só quanta curva, quanta bossa. Vocês vivem reclamando. Queria ver o tal do Poetinha falar de amor se inspirando nas paralelas bundas canadenses ou australianas. Olha que beleza de bagunça que os portugueses fizeram com a ajuda dos negros e índios. Olha quanta Deusa!
Fanho, obcecado por suas desilusões, insistiu:
_Mas Senhor e o meu caso? Eu queria ser o Mick Fanning? Porque o castigo da colonização portuguesa?
_Marquinho..., não foi um castigo. Naquela época eu estava devendo uma para o Cabral, que ajudava muita gente com seu comércio marítimo. Como ele andava estranho e solitário no convés de sua caravela, sempre murmurando... “as índias, as índias...”, resolvi dar uma força pro cara e então mudei as correntes. Você sabe, desde aqueles tempos as índias mais gostosas viviam no Brasil.
_ Meu Deus! Então o Senhor errou?
_ Não! Na verdade eu não tenho culpa. Cabral estava a perigo, não podia imaginar que ele se referia à Índia, o país. Alem do mais, se eu tivesse mandado os ingleses pra cá eles teriam dizimado os seus antecessores e você não seria nem Fanho nem Fenning. Então, de graças a mim! Mandei os patrícios e eles namoraram a sua tataravó, que com todo o respeito, era uma delícia de indiazinha.
_ Mas Deus, como o Senhor reconhece o equívoco, poderia consertar a história e recolonizar o Brasil como colônia inglesa?
_ Marquinho, meu filho, eu também pensava assim, tanto que tentei. Peguei um pedaçinho do Brasil que vocês chamam de Barra da Tijuca e fiz um teste. Não tem jeito, olha só no que deu!


Nota de Rodapé:

1 – Marquinho Fanho é criação do surfista e escritor Fred D’orey, em seu livro “Outras Ondas” – Editora Gaya – págs 74/77

2 _ É bom deixar claro que o Deus aqui presente não pertence a nenhuma religião. Na verdade, peguei emprestado do Veríssimo em sua coluna de domingo, em crônica intitulada “Uma mãozinha”, dia 21.03.2010, do jornal “O Globo”.


Ricardo Lobo

32 comentários:

Pedro Cezar disse...

Que texto sensacional Lobo! Por essa nen o Occy esperava!

Viva La Brasa disse...

pirei mesmo no jesus surfista do rick griffin...
e as chuvas aí no rio? aqui são pedro tá caprichando.
abrax @

Anônimo disse...

Obrigado meu Deus, por este texto inspirado!

De Portugal, carinhosamente (opa!),

MP ;)

paolo disse...

Não percebi essa da Barra da Tijuca, alguém pode explicar?

ClaudioPascoal disse...

Muito Boa!

André Côrtes disse...

issui inclui (opa) as vargens?

André Côrtes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

André Côrtes,

As vargens ficam excluidas.
A área VIP vai do Barra World ao Downtown passando pelo Barra Garden, Barra Square,Barra Point, Barra Golden Green, Barra Palace, Barra Trade Center, Barra Beach, Barra Offices, incluindo também a creche Barra Baby,a pet Barra Dog, a patinação Barra On Ice, a churrascaria Barra Grill, o cabelereiro Barra Bealty e a oficina Barra Car.

Se você quiser pegar umas Barra Waves pode passar lá na Barra My House, porque você é um Barra Brother.

Valeu! Fica com Barra God.

Obs: Esqueci da estauta da liberdade e do New York City Center

Anônimo disse...

que benção!

Anônimo disse...

O Recreio foi perdoado, Amém!!!

Anônimo disse...

E como fica a colonizacao de Ipanema e Lebron? De portugues so os padeiros mesmo porque os edificios? Ah, a Zona Sul e chic ne? Foi Francesa a culonizacao? Edificios como Juan Les Pin, Le Cap Ferrat, em frente ao "Country Club" kkkk. Piada maior que a referencia mico johnson do Lobo a Barra, so o comeco do texto dizendo que tinha altos tubos em Ipanema kkkk.

A ideia deve ter saido do Rio Design center do Lebron, ali pertinho da Cruzada. Tudo bem portugues. KKK

Anônimo disse...

Smile usted arrievé a Baja de la Tijuca.

Jota disse...

Julio, precisava falar com você. Se possível, entre em contato no jwavess@hotmail.com. Agradeço.

Nicola Braga disse...

Que beleza de texto! Que ele se torne um colaborador fiel!!!!

Vingador da Barra disse...

EHEHE
A galerinha "cúlt' do posto 10 e meio desta vez passou dos limites...
Demonstra todo seu sarcasmo "cúlt' bem ao estilo baixo gavea....todos letrados no colégio sto inácio/puc...mas até hj vivem da mesada do papai...
Se já não bastava o blogueiro preconceituoso...agora aparece o amiguinho kukusklan...
Vergonhoso júlin...
abra a mente e veja o mundo fora da zsul...mas acho sinceramente q vcs dois não sao capazes de enxergar isso...
Fui....

Vingador da Barra II disse...

Legal mesmo deve ser aquele videozinho bem "cúlt" produzido pelos miquinhos amestrados do julin/lobinho..."surfando no baixo gavea".
Patético!

Anônimo disse...

Acho que ja vi esse vingador em outro lugar
http://www.sitemeter.com/?a=stats&s=s17goiabada&v=9&r=9&vlr=11&pg=1&d=414
Sempre a mesma ladainha, o cara não tem menor senso de humor.
Fui
Marcos

Anônimo disse...

marcos =julin
fui

Julio Adler disse...

so eu mesmo, abrazzo

Vingador ou justiceiro? disse...

Pois e, o interessante e que Julin durante seus tempos de surfista fera braba nunca surfava na ZS. Somente no meio da barra e quebra-mar, que o recebiam de bracos abertos. Depois que se aposentou do surf, e ja nao dava mais importancia a onda boa, resolveu idolatrar Ipanema e ZS. Pois e. Cuspir no prato que comeu???? Ah nao. Sao todos chics na ZS ne? kkkk Complexo de superioridade destes e no minimo comico...

Le crew de Country Club. Chic chic kkkk

André Côrtes disse...

Quanta bobagem! pra bom entendedor, meia palavra basta, mas se precisa de legenda...( a crítica é tanto para zs, quanto barra ou qualquer outro tupiniquim, o efeito colonizaçao ainda permanece... entre nós!) a metáfora é apenas uma brincadeira pra fazer pensar, pensa aê!!!!

henrique vasquez disse...

Agora entendo o descaso do Júlio com a regularidade das postagens....

´´diga-me quem te posta que direi se leio´´

foi cult o bastante para algum idiota me zoar tb (interrogação, teclado fail)

Anônimo disse...

ha, ha, ha... alem de não ter senso de humor o cara ainda tem coragem de usar o Internet Explorer 7.0 ???!! ha, ha,ha,ha...

Oprobio disse...

Parece que a intelligentsia praiana da ZS foi sintetizada na ponte Santo Inacio - PUC. Tudo verdade. Só filosofa quem esta de barriga cheia, Jeca Tatu...

Puxa Saco do Vingador disse...

Olá,
Percebi no comentario do vingador o mesmo senso de humor do autor do texto....
parece que senso de humor nao e forte do blogueiro/autores/comentaristas..hehehe...
Fui
Abrazzos Marcio/Julin....ehehhehe

"Local" da Gavea disse...

O crescimento exponencial da barra esta destruindo o RJ. Lutem pelo metro, deixem o carro na garagem e usem mais a bicicleta (ou o sk8tão pra quem sabe...) porque a cidade esta parando com tanto prédio por aí. Daqui a pouco não seremos mais barrenses ou da zona sul e sim paulistanos. Blergh!

Anônimo disse...

que tipo de sujeito perde seu tempo fazendo comentários no Blog dos outros?

Mico Feio disse...

Anônimo
O blogeiro escreve para si ou para os outros?
O espaço não deve ser democrático?
Receber só elogios nos remete a velha máxima rodriguiniana
toda unanimidade e burra

Anônimo disse...

Deve ter mesmo alguma coisa muito boa na Barra pra fazer neguinho encarar tantas horas de transito pra chegar em casa, especialmente na sexta feira, dia de balada! Será que o vingador também fica tanto tempo no carro ? será que é de lá que envia as mensagens ? tá putao da vida e desconta nos outros ? Alô vingador, abre seu coraçãozinho aqui com a gente

Anônimo disse...

que tipo de sujeito responde comentários de terceiros, no blog dos outros?

André Côrtes disse...

eu, só que ponho meu nome...

Fazedor de Filme da Esquina disse...

sensacional!

queremos mais. muito mais.

voto no Lobo pra 'colunista' semanal do Goiabada.