sábado, maio 24, 2008

Brunin de Niquiti


E por que não voar ?



'You can't always get what you want,
But if you try sometime,
You just might find you get what you need'
Jagger/Richards>1969


Rabbit, de cima dos seus 40 anos dentro do surf profissional, cantou a pedra: nunca vi um cara tão predestinado.
Analisando friamente os números, Bruno teve um campeonato excepcional, fez história, quebrou o jejum brasileiro e arruinou os sonhos (ainda que temporariamente) de um campeão mundial, um candidato ao título e um herói local.
Esses são os fatos e os fatos pouco me importam. O que me interessa nessa história é o mito.
Joca Secco recebeu o seguinte imeio do Brunin dia 29 de Abril -

From: "BRUNO SANTOS" <--------@hotmail.com>
To: "Joca Secco - Wet Works" <-------@wetworks.com.br>
Sent: Tuesday, April 29, 2008 7:03 PM
Subject: RE: Puta que pariu !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!MUITO BOM MESMO

Joquinha ,, as pranchas tavam muuuuuuuiiiiito boas,,,, eu so vim com quatro,, as quatro amarelinhas,,, a 5,11 quebrou rapido,,,, a 6,7 tava incrivel,,, no dia que o pessoal fez tow in eu surfei com ela na remada e peguei altos tubos no meio dos jetskis ai no dia seguinte ela partiu de manha antes de comecar o campeonato,,, foi irado,, ai eu corri a triagem inteira com a 6,3 que ta muito boa tambem. Agora eu to so com a 6,1 e 6,3,,,,,mas ta tranquilo porque eu vou ficar uma semana sem surfar,, eu tomei 15 pontos na coxa no comeco da semifinal e vou ter que ficar de repouso.

mas nao preciso falar nada ne joquinha,, esse negocio de prancha gringa nos tubos e coisa de viado,, as pranchas tavam voando,, agora e concentrar no ct,, abracao e obrigado por tudo


Sabem os 15 pontos (no saite da ASP são 30!) que ele menciona ter levado na coxa ?
Ele não conta, mas os médicos pediram a ele que desistisse da semi-final, Bruno se recusou, voltou pra água- as ondas estavam boas demais.
Mesmo com a vaga garantida pro WCT, voltou pr'água contra Jamie O, liderou toda bateria em ondas épicas e perdeu numa virada que provavelmente não seria tão limpa se o caso fosse contrário. Vale dizer que, tivesse mais alguns segundos e outra onda na série, Bruno (precisando de um 9.01) virava fácil. Alguem duvida ?

Foi bom a tão sofrida e esperada vitória dum conterrâneo no WCT vir pelos pés do Brunin.
Primeiro, pelo fato dele representar hoje a antítese do surfista guerrilheiro.
Bruno raramente vibra no final das suas ondas, e atentem!, suas ondas são dignas de anos soltando fogos de artifício pra maioria dos top 45.
Bruno simplesmente prefere arriscar uma manobra, terminar sua onda e pronto. Sem soquinhos, sem gritinhos, sem bananas, sem dedinhos. Aquilo é natural, é dele, ali Bruno tá acima de tudo querendo se superar, foda-se o adversário.
Sua atitude me lembra demais o falecido Pepê, totalmente à vontade em Pipe, fortuito e imponente ao mesmo tempo.
Tudo sob o mais absoluto controle - até os acidentes.

Pô, cara...

Pena que não tem onda, insistia Bruno ao inacreditável entrevistador GT, um paspalhão irritante que assemelha-se a esses caras chatos que voce tenta evitar nas festas.
Ao final da disputa contra o atual campeão mundial, Bruno sorria, dizia-se feliz e lamentava: Pena que não deu onda...
Depois de esculachar Taj, mais uma vez tava lá o chato e Brunin: Pena que não tem muita onda...
Contra Reyes, Mineiro e Cêjota: Pena que não tinha onda...
Minha leitura da frase é a seguinte: Pena que não deu onda, porque se tivesse onda mesmo, onda de verdade, eu ganhava do mesmo jeito, mas muito mais bonito.
O personagem fictício do saite Surfline, Lewis Samuels (que todos sabem não existir, é um velho truque da imprensa para escrever textos que ninguem tem coragem de assinar), apostou no Bruno santos como favorito pro evento antes da contenda começar, bem antes.
Até as conchas da praia de Itacoatiara não tem uma pontinha de dúvida que Brunin é capaz de estragos em esquerdas pesadas. O que ninguem esperava, nem as conchas, era que num mar com ondas muito mais para um Mineiro, um Taj, um Fanning, num mar de ondas manobráveis, quase sem graça, ninguem esperava que Bruno desse cabo de tudo e de todos.
A locução do campeonato em inglês, repetia constrangida nos últimos minutos da bateria final, esta é uma bateria triste, quase pedindo desculpas pelo fato do antagonista estar estragando uma festa que deveria ser deles (Billabong).
Achei ótimo o troféu ser levantado pelas mãos do Brunin naquelas ridículas condições porque agora inverteu-se o chavão.
Se há hoje um camarada capaz de fazer final em Teahupoo no limite do bom senso, fora os óbvios de sempre, esse alguem é o Bruno.
Se ameaçadores rolos compressores de 10 pés desafiassem os 45 em Teahupoo, Bruno ganharia da mesma forma de cada um deles, inclusive Manoa.
No dia que ele menciona a sessão épica de tow-in, só ele e Anthony Walsh dentro d'água no braço.
A vitória do Bruno devolve ao surfe essa qualidade de imprevisível.
Nem Mick, nem Kelly, nem Joel, nem Dane, nem Taj, nem Hobgood nenhum, a taça do WCT de Teahupoo é do Brunin, de Itacoatiara.
Não tentem decifrar nada por trás disso, apenas curtam o momento.







PS - Rafael Mellin sempre seguiu Bruno bem de pertinho, acreditando que algo maior estava reservado ao baixinho da terra do Ariribóia e não só apontando sua câmera quando as condições estavam mortais, Mellin gosta de ver, e filmar, Bruno voando e rasgando como qualquer garoto de 25 anos com surfe no pé faz.

5 comentários:

Niegà disse...

I am afraid that UNFORTUNATELY Lewis Samuels exists in real life: http://www.discoversurfing.com/ is his website.

Niegà

P.S.: as (almost) always i have to agree with you.

Anônimo disse...

Muito bom, como sempre.

>>>
Acabei de assistir a bateria do Mineiro contra o Jihad em Tavarua...

Fiquei muiiitto impressionado com a atitude e o posicionamento de tubos do Mineiro. Em contra-partida, a covardia e falta de leitura de onda do Jihad foi vergonhosa.

Anônimo disse...

mineiro tá com MUITA atitude mesmo

Paulo de Castro disse...

Humiiiilha!!
Irado Julio... Bruninho é o pequeno grande cara!!!

Abs
Paulo de Castro

Anônimo disse...

Bruninho, eterno barrel master, no momento, tá reinando sozinho.
Mais do que merecido.
Valeu,

Bruno Rozenbaum - RJ