segunda-feira, outubro 22, 2007

Rejeitados



O blogue britânico Surf-nation nos informa que a British Airways, uma favorita de sempre, não transporta mais pranchas.
A notícia é grave - e curiosa.
Grave porque pode nos ameaçar com preços ainda mais exorbitantes para nosso 'excesso de bagagem'.
Com o aumento da quantidade de pranchas nos aviões (a velha conhecida popularização do surfe), aumentaram tambem os problemas: reclamações, complicações e indenizações.
Por outro lado, empresas aéreas deixando de levar pranchas, ou cobrando fortunas para leva-las, pode empurrar surfistas ao metódo milenar de viajar, por terra, pelo mar.
Imaginem que em 10 anos nenhuma das companhias de aviação queira transportar sua prancha, nem sua nem de ninguem.
Talvez um boom de aluguel de pranchas.
Ou talvez um line-up mais vazio.
Café ou chá ?

11 comentários:

Anônimo disse...

Quem sabe não seja revivido o projeto do Machucho, se não me engano um Gaúcho, que inventou a prancha inflável...

Tora disse...

...ou, alguma empresa aérea esperta prepara seu departamento de bagagens para levar com segurança as pranchas fazendo campanha disso. Acho que somos um número considerável viajando por aí. Quem sabe!

Pedro disse...

mais uma das inúmeras vantagens do Bodyboard...

:)

aloha Julio, grande abraço

Mephisto disse...

Bodyboard? Isto me lembra a antiga rixa entre vertebrados (Asa Delta) e os invertebrados (minas voadoras)- se estes charutavam - o destino era o chão (senão morte, escoriações profundas)- Em suma: as Cias. Aéreas serão responsáveis pela migração obrigatória dos surfistas para o sabonete? A conferir...

Anônimo disse...

Enquanto houver surfista querendo viajar , vai ter empresa aérea que transporte pranchas .... mas o $ sim pode ficar salgado....
Juan Tamarindo

Anônimo disse...

E que tal uma EasySurf Air Company?

surf4ever disse...

Tive que ler a informação no site da companhia aérea pra poder crer que não era uma brincadeira.

"Due to the large size and handling complexities..."
www.britishairways.com/travel/bagsport/public/pt_br

Colocaram as pranchas no mesmo balaio que outras geringonças. Se a moda pega...

Falou,
Gustavo

Anônimo disse...

Calma minha gente, já saiu o desmentido, claro!... Ainda somos alguns e temos algum peso, pelos vistos...

http://www.surfline.com/surfnews/surfwire.cfm?id=11886

Bons voos!

MP

Tempo de Viajar disse...

A verificar-se, será mais um duro golpe para os surfistas viajantes. A BA tem sido uma das companhias mais surfer friendly (ao lado da Qantas, Singapore e poucas mais) e opera com boas tarifaspara destinos muito procurados por surfistas (Asia, Africa Sul, etc). A informaçao continua no website e, apesar das palavras no "desmentido", sendo essa a regra vai sempre depender da pessoa que nos atender. Até nos autocarros do Peru ou do Chile já nos cobram dinheiro pelas pranchas! Cada associaçao de surf de cada país deveria tentar influenciar as suas companhias nacionais a terem uma politica razoavel e transparente a este respeito. Em POrtugal isso já tem sido tentado (e a TAP nao é das piores - cobra 100 Euros).

fazedor de FIlme da Esquina. disse...

A política de algumas dessas empresas em relação às pranchas é de emputecer.

Mas a verdade é que, em parte, a culpa é nossa também.

Já vi e ouvi vários casos de "surfistas conhecidos" que embarcam pranchas destruídas pra pedirem indenizações pesadas depois.

A velha história do malandro...

luís disse...

Parece que a BA chegou à conclusão que os surfistas causam mais transtornos que benefícios... Não terão alguma culpa aqueles (muitos) que tentaram que lhes pagassem pranchas novas quando na realidade já as tinham enfiado partidas na capa? Porque será que o snowboard e o ski podem? Questão de status?