sexta-feira, julho 27, 2007

Musicas que foram ao mar - e voltaram



A segunda edição da Rádio Goiabada começa da mesma forma que o clássico da dupla Hoole/McCoy, Storm Riders, com a épica Riders on the Storm do Doors.
Pra quebrar o clima sem sair d'água, aproveitando o solzinho do inverno, Dóris Monteiro com sua voz sensual sussurrando Nós e o Mar, parceria de praia do Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli.
Richard Hawley fez de tudo um pouco, entre outras tocar com o Pulp, que é quase uma recomendação. Seu disco Cole's Corner é, vamos gastar um termo pra lá de gasto, fundamental para quem ainda gosta de se emocionar ouvindo essa coisa ultrapassada que é o roquenrôu e The Ocean tem todo sentimento que um título desses pede.
Dali velejamos pelo Cosmic Sea do Mystic Moods, arrancado duma coletânea porreta da não menos espetacular gravadora Rhino.
I'm the Ocean é um hino pra mim, Neil Young e Pearl Jam juntos - dizer o que ?
Voces já devem conhecer o deliciosa voz da moça Charlyn 'Chan' Marshall, vulga Cat Power, pela cena incial do Glass Love do Andrew Kidman.
Sea of love é um sucesso esquecido de 1959 que Cat Power regravou no disco de couves.
Nenhum malandro esquisito está livre de gostar dos Hermanos: Fez-se o Mar.
Respeitando o momento reflexivo, seguimos com Ballad of broken seas do adorável e irresistível par, Mark Lanegan e Isobel Campbell.
The Ocean Always Wins do Josh Rouse tem uma bela história: Josh namorava uma espanhola chamada Paz Suay, viviam em dois continentes diferentes acertaram tudo para morar em Nova Iorque. Antes da menina terminar de fazer as malas Josh a surpreende mudando para Espanha - quem resiste aos la-la-las ?
Numa coleção de canções de beira do mar por que não casar os The Sea and Cake ? Coconut.
Agora, uma outra arbitrariedade (deveria criar uma sessão chamada 'arbitrariedades' ?),instrumentais: primeiro, on the sunny side of the ocean do virtuoso john fahey, seguida de 'Do outro lado do Oceano' do Duofel.
No Festival da Música independente de Maceió no ano passado, vi o Duofel ao vivo tocando essa linda canção e na introdução contaram ao público que foi no Algarve que surgiu a composição.
Pra encerrar, dois gigantes que tem uma relação íntima com o Mar. Leiam isso e percebam como soa familiar: 'Não quero mar de marola, Nas praias da moda, Na 'rebentação.
Quero mar alto, mar grande...
É do Paulinho da Viola, nosso Poeta Greg Noll, o Curren do samba, capaz ainda de versos chave de ouro como esse: O mar é meu ninho,
Meu leito e meu chão.
Pega onda, esse cara ?
Pode até não pegar, mas tem coração de surfista - ou temos nós, todos, uma alma de sambista.
Dorival Caymmi, avisa: Quem Vem pra Beira do Mar, nunca mais quer voltar.

Clicando ali ao lado, voce assina a Rádio Goiabada pelo Itunes - bora ?

2 comentários:

Maurio Borges disse...

Que trilha sonora pra nova novela da bôbo, hein? Faltou aí "Waves" do Tom e "Descobridor dos Sete Mares" do Tim...Música boa! para embalar coraçõeszinhos apaixonados a caminho do surfe!

Com todo respeito...

Maurio Borges
Alohapaziada.blogspot

Anônimo disse...

tudo que sei é que as ondas do pontao que antes eram do mar agora voltam.
elas nao mais terminam na areia porque batem no concreto e voltam a ser ondas - só que pororocas...