segunda-feira, dezembro 11, 2006

Pepeu e o chá

[Amizade, o camarada que escreveu esse texto que vos ofereço como parte das festividades de final de ano dispensa apresentações - mas, insistente que sou, apresento novamente.
Pepê é surfista e escreve como gostaria de ter surfado (alguma coisa entre Carroll, Occy, Curren e Picuruta), nas horas vagas (e como são vagas, as horas!) dirige filmes como Slater dentro do tubo no Backdoor, com improviso e precisão - e combinam, esses dois ?
Esse texto foi publicado na Alma surf e mais não disse.]


Esses contos ficariam muito bem nessa revistinha aí de cima- pois não ?

As três meninas quilha, borda e fundo estavam sentadas em volta da ostra-mesa do restaurante marílico. Praticavam o feminino e milenar hábito de tagarelar sobre meninos. Borda, com figurino básico e justo, toda cheia de si, reclamava: - Ninguém me chama mais pra sair.
Fui condenada a dona-de-casa, fui condicionada a página de revista velha. Virei memória-afetiva de uns poucos surfistas já fora de moda que insistem em me cravar na parte crítica da onda...
Nostálgica, borda continuava projetando seu cineminha verbal: - Era tão bom aqueles tempos que me puxavam firme pela mão e me escondiam bem nas entranhas das águas pesadas e espessas do Havaí.
Jamais vou esquecer uma tarde em Sunset quando Carroll, Kong, e Occy me fizeram sentir disputada.
Me fizeram pensar que eu tinha uma função nobre na vida. Me fizeram achar que eu tinha dono...
Fundo, cheia de tatuagens pós-modernas, interrompeu sua garfada e puxou a conversa pela maçaneta: - Qualé borda? Quem anda pra trás é siri afoito!! O mundo mudou, tua fase de reinado já passou.
Porque você não fica em casa assistindo mini-série e costurando roupinhas? Quem tá bombando hoje sou eu! Eu rodopio pelos ares, visito sítios aéreos jamais sonhados pelos meninos de antigamente!!
Como dizia o portuga Gonçalo "o passado é um lago cheio de peixes com a placa escrita: É PROIBIDO PESCAR" Borda retrucou: Que adianta visitar os ares com majestade e deslizar que nem uma enceradeira baiana* na parte crítica do mar? Que andianta voar programadinha e matemática no vento e ficar descompassada e amantegada no tapete da onda ?
Fundo se sentiu provocada. E não era moça de levar desaforo pra casa: - Não precisa ficar nervosa... você subiu assim nas tamancas só porque o Andrezinho de Ferro nunca te chamou pra tomar milk shake...
Subitamente quilha interrompe a discussão e fala: Amigas, presta atenção em quem tá chegando ali!! Olha lá... é o CARA! Carlos Leite em carne e osso.
Não acredito!! disfarça, ele tá vindo em direção a nossa mesa: Carlos chegou sereno e decidido (é impressionante como essas palavras podem ser opostas ou gêmeas dependendo do contexto), então, dizia eu, Carlos chegou sereno e decidido.
Sorriu e disse: Vamo dá uma volta e nos divertir até o talo?.. só nós quatro alí no quintal de Róquipointi? As três ficaram absolutamente farfalhantes, e oferecidas e cremosas e envaidecidas e competitivas e cintilantes enquanto a maresia boiava rarefeita no momento crepuscular e o babaca aqui que vos escreve se sentiu o mais charlatão dos romancistas apelando para truquinhos baratos e efeitos pseudo literários... mas as moças pranchosas assim mesmo toparam o convite do rei.
Carlos tratou devida e indevidamente todas elas.
Dispensou atenção diferenciada a quilha, borda e fundo mas, simultaneamente, não deu certeza nem plantou dúvida em nenhuma delas.
Deixou sabiamente no ar reticências sobre quem era A mais poderosa.
Cada uma delas tinha, ao mesmo tempo, a ilusão e a tormenta de se afirmar como a popozuda do baile.
Borda, quilha e fundo jamais esquecerão a intensidade daquela tarde. Gisele, escondida atrás das árvores, assistia todo aquele carnaval marinho.
Depois pegou subitamente o Carlos pela coleira e o levou pra tomar um chá.

[PS - Pepê queria saber se esse negócio de blogue é mesmo do barulho. Quem quiser ler mais (e inéditos) dele por favor levante o dedo e manda um comentário aqui embaixo. Quem sabe não o convenço de escrever mais pro Goiabada ?]

34 comentários:

Gustavo disse...

Viva Goiabada, Pedro, Borda, Quilha e Fundo.
Queremos mais Pedro Sérgio, o T.E.D. "Terros das Emp..."

Gostava do Terry Fitzgerald disse...

Definitivamente queremos mais...
Show de bola!

renato sachs disse...

pode escrever a vontade, a imaginação do cara é forte......, bons minutos livres de trabalho na frente do pc.

Aspone disse...

Só não entendo como os atuais veículos de comunicação especializados não conseguem achar gente assim...

Anônimo disse...

sem palavras...
mais...mais...mais...

Viegas - fã incondicional da borda disse...

lembro do Pepê em várias ocasiões mas a que vale contar aqui é a daquele fim de tarde clássico na Joaquina, depois da final de um daqueles sea clubs... caímos na água e as esquerdas estavam desenhadas e com força, Pepê - de prancha emprestada - foi destaque da caída, destaque mesmo, até quebrar a prancha ao meio num tubo insano na minha frente... sabe muito do riscado e por isso trata o assunto com intimidade ímpar!!!

Anônimo disse...

esse é o verdadeiro Pedro POETA !!
ass: falso Pedro POETA

Anônimo disse...

MAIS TANAGUTI NO GOIABADA !!!
JÁ !

Pedro disse...

Sem dúvida, Pepê para o Goiabada já!
aloha Júlio

Anônimo disse...

Eu quero textos do Rosaldo Cavalcanti e do Fernando Gaspar!

Anônimo disse...

Não entendi nada desse texto.
Será que o cara quis dizer que a borda é mais integra e fundo é a maior vagaba ?

Anônimo disse...

Cliquei no link do titulo e comprei o livro de Pedro.
Comprem voces tambem.
Fui
Getulio

Anônimo disse...

surf é hedonismo ?

Anônimo disse...

Gostaria muito ver novos textos do Tãna... já se passaram 26 anos daquela tarde de verão, num arpex mexido de sul e sem fundo e um metrão enchendo... derepente, voltado ao outside, vejo um garoto magrela cabelo loiro, colar de conchas, calção florido curtinho, descendo uma onda e mostrando uma linha maneira... o malandro tava pilhado... conversamos 3 min, e nos tornamos grandes amigos, tinhamos o mesmo foco, e nossa caminhada estava apenas começando...
R.O.

André Côrtes disse...

também tô nessa, pepe no ar, mostrando o fundo, as quilhas e a bordinha....

Anônimo disse...

Não gostei, parece um daqueles textos do mala do Armando Nogueira...

Anônimo disse...

tambem achei fraco.texto molenga e enrolado.

Anônimo disse...

O que mais me irrita nesse blog é que quando alguem não concorda com o Julio é esculachado.
Parece que ele é o dono da verdade.
Mas, o cara tem que ter lido muito pouco pra comparar esse texto com Armando Nogueira.
Olha só esse trechinho:
" babaca aqui que vos escreve se sentiu o mais charlatão dos romancistas apelando para truquinhos baratos e efeitos pseudo literários"
O dia em que o pentelho do Armando Nogueira escrever uma frase dessas eu mudo de nome.
Um conselho pro cara que escreveu: leia mais.

Anônimo disse...

O sr. julio adler sempre teve essa atitute. impiedoso com suas vitimas e baba-ovo da sua turminha, a qual ele acredita estar no olimpo da cultura surf. nao aguento mais esse cara.
MENTE SÃ

Anônimo disse...

a qual é muito bom!
Ass: Corpo são

Anônimo disse...

Iletrado? Tudo bem, não sou nenhum intelectual, só achei que o texto me lembrou o Armando Nogueira, aqueles que ele escreve coisas do tipo "Pelé e a bola", achei "Carlos Leite e a borda" indo pelo mesmo caminho... Mas tudo bem, só quero deixar claro que em nenhum momento quis ofender ou desmerecer ninguém só achei saudável alguém manifestar uma opinião diferente já que um grande tricolor disse que toda unanimidade é burra. Já pensou que coisa chata alguém ler os comentários e só encontrar elogios? Vai parecer que existe uma ABOG (associação de baba ovo do goiabada).

Julio Adler disse...

As madames podem fazer a gentileza de comentar o texto e só ?
Deixa pra puxar cabelo e dar unhada quando se identificarem.
Aqui pode tudo, só não vale homem com homem e do jeito que a coisa vai, pode dar até casamento.
Achem o que bem apetecer, mas bater boca, pelamordedeus!
Tem onda ?

Anônimo disse...

Sujeito não gostou, critica, compara. Qual o problema? Só não entendo porqûe não assina. Panela rola mesmo, e daí? Blog é parcialidade, visão e viés pessoal, nunca isento. Nunca. Na frequência de amigos as afinidades predominam. Quem discorda: zoa, sem ressentimentos. Pelo contrário, quem baixar o sarrafo no Julio, e em seus cumpadres, e bem o fizer (economize adjetivos), vai divertir e informar também.
Então, identificar-se-á?

Ignatius

Hohohoho

Anônimo disse...

Caros AMIGOS GOIABANTES, venho novamente pedir que se fale de surfe...poh pipemaster rolando, alguns brazucas fazendo bonito, outros nem tanto, jamie o´brien e bruce matando...etc etc... e neguinho de papo-furado, se agredindo, vamos ser surfista galera...
R.O.

rodrigo disse...

Depois do tapa nordestino fabuloso na turma americanizada do Sul e Sudeste (todos nós), agora o Pepe dá um sacode sutil na nova geração do surf de "pulinhos". Deixa o homi continuar escrevendo e filmando para ajudar na reflexão desse mundo, prática pouco incentivada nos dias de hoje, que os anônimos demonstram desconhecer. Gostei mais da parte que a borda desbanca o fundo, mas todo o texto é genial, esconde muita coisa debaixo da saia, ou melhor, da metáfora.

Ass. Rodrigo Lobo

fazedor de FIlme da Esquina. disse...

Pedro pro Goiabada!

Tô pra ver um sujeito que nem esse aí pra conseguir encantar desse jeito.
Apertando botão, tanto pra fazer palavra, quanto pra colar imagem, o cara é mestre. Que nem esse, acho q só tio Juio mermo.

E ainda tem nego perdendo minutos preciosos catando porcaria nesses saites "de surfe".

Ah, BS despachando os feras em Pipe tá lindo de assistir... Juio, se o moleque for pra final tem cerveja!

Ananda disse...

Total apoio! Vamos juntos com o Pepê ver a vida do ponto de vista do horizonte!

Anônimo disse...

prifiru as parada em português-saxônico qui eu num leio nas fluir, waves e bléquiuater da vida.
muito mais gringo, mais atual, mais aéreo. Êssi negóço de borda num tá cum nada não malandragem.
a modernidade está nu ar, nus aéreo, nas parada qui a galera faz nas marola ou nôs jetski brabo qui têm puraí.

istaile mermu é copiá e falá qui nem us gringu: united republic of ipanema na parada, sunset voyers é o istaile e as camisa da totem com as capa de filme de surfi sem pagá roialti, morô bródi?

u quê qui é hedonismu???

Anônimo disse...

Muito Bom. Mesmo.
Mais uma fábula fabulosa.
abs

Anônimo disse...

PePe pra recheio da Goiabada!
E, demorou. Se é só isso que precisa (goiabar) pra dar moral pro PePe continuar, tá feito!
Abs
Boi

Anônimo disse...

Bem vindo pepe cezar, uma grande aquisição do blog... mas pelo amor de Deus.. esse texto tá palha, ta quase boiola...
Sergio Carneiro

Beto disse...

Valeu Pepê. Escreva mais no Goiabada e, quem sabe, no próprio blog. Bota pilha Basílio! O surf merece.

Claudio da Matta disse...

Tá meio tarde, mas eu do a goiabada mandando o meu pedido pro Pepê continuar dando linha nessa pipa.

Dudu Braga disse...

dalhe pepe.. e deixa as meninas em exaltadas ali de cima brigarem no mar... bateria homem a homem.. e o juri são a borda, o fundo e a quilha..
qualidade!!!