terça-feira, fevereiro 14, 2006

Natureza = Deus

'While on a board, either surfriding or paddling, one is truly free from land bound restrictions.
For that hour he is the captain of his fate, of his miniature ship.
The burden of city, school, job, as well as the cares and worries of the subconscious mind are erased and forgotten until the tensions of living again build up.
The remedy again is obvious.
Go Surfing.'
Tom Blake - 18 de Junho de 1968, Crystal Downs, Michigan.



Hoje já nem lembro mais onde li pela primeira vez esse trecho desse artigo do Tom Blake para um jornal do Michigan.
Sei que hoje, fazendo mudanças, achei isso escrito no verso duma nota de compra na Massmusic.com, lojinha virtual muito em conta da era pré-Google.
Na data, 14/6/1999, ainda nos permitia importar os tais 50 Dólares sem imposto.
Nota: Queen of soul, caixa com 4 CDs da Rainha (Deusa) da música Soul, Aretha Franklin e a edição de aniversário da trilha mais sampleada da história moderna, Superfly (páreo duro com Shaft ?!) do hoje saudoso Curtis Mayfield.
Quando escreveu aquilo, Blake já tinha 66 anos e perdera completamente o interesse pelo surfe em 55 deixando o Havaí - visitou pela primeira vez em 24 e mudou-se de mala e cuia em 26 - que considerava muito 'cheio' de gente para trás e foi embora para Flórida, trabalhar como salva-vidas até 1964.
Nadador excepcional, inventor, vegetariano desde 1924, Blake entrou para o Hall of Fame do surfe e da natação, onde tem a companhia do seu bom camarada, Duke.
Viveu seus últimos dias em Washburn, pequena cidade do estado de Wisconin, de frente para a baía de Chequamegon e foi lá , no Lago Superior, que escreveu numa pedra a inscrição que era seu mote: Nature = God
Ele gostava de falar em natureza e logo se apressava em corrigir, 'natureza; Deus' e continuava a frase com a convicção dos que tem dúvidas.



Blake afastou-se do surfe e deixou muita gente que tinha seu livro Hawaiian Surfriders 1935 com a pulga atrás da orelha: afinal, o camarada que ousou mais que todos antes e depois dele na filosofia de deslizar nas ondas foi parar num lago ?
Gary Lynch, autor do excelente livro TOM BLAKE:
The Uncommon Journey of a Pioneer Waterman
sobre Blake, tornou-se amigo e explica: 'O que as pessoas não entendem é que nunca foi só o surfe para Tom. Claro que o surfe era uma parte importante de quem ele era - mas de jeito nenhum era a única coisa. Ele amava a natureza - que ele chamava de 'Igreja abençoada do céu aberto' - e ele odiava multidões.'
O texto acima, que fiz questão de não traduzir, é a síntese do que o Andy Irons, o Marcondes Rocha, o Bocão, o Sifu, o Valente, o Cadilhe, eu e voce temos em comum.
E guarde bem isso: comum; do latim comune, que pertence simultaneamente a mais que um, normal; trivial; vulgar; usual; feito em comunidade.
Morou ou boiou ?

3 comentários:

Anônimo disse...

Morei! Valeu! Abrazzooo. É bom ver-te activo. Aloha,

MP

Xará disse...

Ledo engano..... Deus criou a Terra e a natureza.....Como alguém acredita que toda a beleza do meio ambiente pode ter sido obra do acaso?

Anônimo disse...

não existe deus....não existe acaso
existe boa vontade.....existe a conssequencia do que fazemos