quinta-feira, novembro 25, 2004

Dois Cabras e uma coroa

Pigmeu fazendo final em Haleiwa não lá grande surpresa, Fabinho perdendo na semi surfando do jeito que surfou durante todo evento, isso sim foi um susto.
Quem acompanha um pouco mais de perto o circuito, sabe que um Pigmeu, um Trekinho, um Raoni, pode fazer uma final e arrastar qualquer campeonato do mundo.
Digo qualquer campeonato e já me apresso para afirmar: de Pipeline até Nijima.
Caso alguem tenha perdido o bonde, é bom lembrar que Pigmeu e Fabinho devem ser convidados para o Pipe Masters pelo simples fato de que, pontuando em treceiro e quinto, entram imediatamente na corrida à coroa do Triple Crown.
Se não forem convidados (o que duvido), vai soar preconceituoso, que tambem não é novidade quando falamos de surfistas brasileiros.
De todos surfistas que já estiveram no WCT, Fia é o que mais evoluiu em Pipe- aqui cabe uma menção ao Bronco, que tem a atitude mais condizente com seu apelido: Animal- tanto pra esquerda, quanto pra direita, sempre tentando ficar mais fundo e dropar mais atrasado, mas levo mesmo fé é em Sunset, onde Fabinho tem uma identificação enorme e, apesar de ter vencido num mar que nem pode ser chamado de Sunset Beach (tava mais para Sunset Point), tem se destacado a cada ano com desempenhos de levantar as sobrancelhas mais exigentes.
Uma excelente colocação em Sunset antecipa a volta do Fia ao WCT num ano que ele aproveitou para descansar - mais um capítulo da fábula.
Bernardo Pigmeu já está sendo apontado pelo sîtio do Triple Crown com grande revelação.
Quando se escreve sobre brasileiros em Pipe, sempre é alardeado o 10 do Renan como único 10 em Pipe na história do surfe nacional, mas pouca gente se recorda do 10 que o Pig arrancou, de backside, num mar difícil, em 2002 - levem em consideração que esse evento era local e brasileiros nem sempre são, err...bem-vindos.
Curioso, aliás, é o pouco, ou nenhum, interesse que a brasileirada tem pelo Triple Crown, um dos eventos mais prestigiados da nossa comunidade, senão o mais importante de todos.
Reconheço que deve ser quase insuportável tentar surfar Sunset ou Pipe em plena temporada, ainda mais com essa horda de covardes que infesta a Ilha atualmente, mas nunca foi muito diferente - Rabbit, o presidente, teve todos seu dentes arrancadados na base da porrada quando acusou os locais havaianos de bairristas ainda na longínqua década de 70.
Uma semi final em Sunset garante a vaga do Pig no WCT em 2005 e o deixa numa confortável posição no ranking da tríplice coroa.
Vamos torcer.
Neco dificilmente perderá o título de WQS.
Andy Irons, o imbatível, acumula duas derrotas para brasileiros no WQS em 2004: uma pro Pigmeu na Austrália e agora, rufam os tambores, Trekinho em Haleiwa.
Não se iludam, A.I. vai usar de toda sua força para vencer uma das jóias da coroa.
E por falar em jóias, Tom Curren na primeira fase de Sunset.
Mais um chance de aprender um truque, ou dois...

2 comentários:

Anônimo disse...

É ISSO AÍ JULINHO.... BACK TO WORK...
PÔ A GALERA TAVA ANCIOSA POR NOVOS TEXTOS... COMO BEM FALOU O LÚCIDO ROGER BANNO, VARIAS COISAS ACONTECENDO... AGUARDAMOS TRABALHOS DIÁRIOS.... COMO JÁ FALAVA O JEFF HAKMAN NAS ANTIGAS:

"THE MEN WHO SPREADS THE DOPE... MAN, HE JUST CANT STOP" (pronuncia-se "istoup" pra rimar...)

Best wishes...

Professor Papanatas

Anônimo disse...

Bom txt, bastante informção pra quem, como eu, atualemente acompanha o circuito meio de longe. Vamos torcer para a mulecada e pro Fia!

Abs,

Bruno Natal.
www.gardenal.org/urbe