sexta-feira, setembro 10, 2004

Frampton versus Billabong - Round 1


Voce estamparia esse rostinho no biquíni da sua irmã ?

Se voce ainda não completou os seus trinta e poucos aninhos, a probabilidade de ter ouvido o refrão ' Uh baby i love your way' é pequena.
Peter Frampton embalou muita viagem de Fusca pra Saquarema e Ubatuba nos anos 70, seu disco 'Frampton comes alive' foi fenômeno de vendas em 1976 (6 milhões de cópias!) - ele tinha apenas 26 anos.
Alguns anos antes, 1969, o cabeludo tinha formado uma banda chamada Humble Pie com Steve Marriot, ex-Small Face e Greg Ridley, ex-Spooky Tooth, onde gravaram cinco LPs.
Eleito 'Face of 68' pelas ainmadas revistinhas inglesas, Frampton já gozava (Epa!) de algum destaque com a bandinha Herd, que enlouquecia as adolescentes com o hit 'Paradise lost' e suas madeixas loiras.
Depois de deixar o Humble Pie em 71, PF gravou um disco solo em 72 e chamou uma turma da pesada, Billy Preston (Little Richards, Rolling Stones, Ray Charles...), Ringo Starr (Beatles dã ?), entre outros.
Aqui no Salvelindo, Frampton vendia cigarros Hollywood na TV e embalava os 'Hi-fis' da molecada com 'Show me the way' no terraço dos prédios da classe média.
Agora, careca, distante daquela figura exuberante dos anos 70, Frampton processa a gigante Billabong por usar indevidamente sua imagem e refrão do mais executado de todos sucessos.
Uma coleção de roupas femininas carinhosamente chamada de 'Frampton' pela Billabong causou a fúria do nosso calvo herói.
A estampa traz a frase 'Baby i love your waves', numa clara alusão ao seu 'hit' 'Baby i love your way' e um rosto, digamos, familiar.
Biquini, Camisa de lycra e camisetas.
O guitarrista que nos trouxe 'Take me away', pede através de seus advogados que a Billa tire os produtos batizados com seu nome das lojas e, naturalmente, despeje alguns milhões de verdinhas na sua conta para repor os danos causados pelas meninas sentando em cima do seu rosto.


Parecido com o malandro da capa ?

3 comentários:

pedro adão e silva disse...

os calções em bem melhores do que o insuportável frampton (quando ponha a guitarra a falar então é que era de fugir). Não seria o contrário o justo. O tipo a indemnizar a Billabong? By the way, deu para ver q o artigo da Rolling Stone era escrito pelo Cameron Crowe. Há coincidências do caraças! abraço PAS

Anônimo disse...

frampton insuportável? não para um paulistano que era moleque no início dos anos 80 e viajava na bela voz e nos solos incendiários dele. não ter solado guitarras imaginárias imitando "breaking all the rules" é muito mau-humor ou um gosto refinado demais. tomara que o louro meta a billabong no pau mesmo e saque um pouco dessa sanguessuga aussie. grande abraço, júlio, e se não for pedir demais, tem esse artigo de outra fera, o crowe, para a gente ler e se inspirar? zé augusto

Anônimo disse...

Fala Julio...
Diziam que ele tinha um braço mecanico, fruto de um acidente de carro ou moto, bem típico de roqueiro da época...
Por aqui tinhamos o Roberto Carlos compondo:

"é preciso saber viver....com uma perna mecanica!!!"
"é preciso saber viver....com uma perna mecanica!!!"

Prefiro o Frampton, pelo menos ele nao lança anualmente no natal aqueles LPs ridiculos enchendo a bola das gordinhas, feinhas, velhas e outros cacos... Falar de gatas nunca foi a dele...

Roger Banno