terça-feira, agosto 03, 2004

Michael Moore é ladrão e mentiroso

E por que não ler o nosso sempre alerta Ricardo Calil no saite Nomínimo ?

Mais uma vez, clique no título para ler a (completa) entrevista de Ray Bradbury, 83, autor do livro (Fahrenheit 451) que inspirou o título do mui comemorado filme novo do gordinho mais simpático da telona.
Bradbury é divertido, no mínimo...

Trechos da entrevista:

“O computador é apenas a soma da máquina de escrever, do fax e do telefone. Já tenho tudo isso. Então, para quê computador? Estão tentando nos vender mais máquinas do que precisamos”, afirma. Sem papas na língua, ele gosta de usar o mesmo adjetivo para classificar novidades tecnológicas como a Internet, os videogames e os filmes da série “Matrix”: “São todos estúpidos”.

A ameaça à liberdade de expressão não seria um tema em comum entre o livro e o filme?

O tema do livro não é a liberdade de expressão, e sim o risco de as pessoas deixarem de se interessar pela escrita e pela leitura.

O senhor acredita que esse risco é real hoje?

Mais do que nunca. A sociedade desistiu de ensinar os jovens a ler e escrever. Não é necessário queimar livros para destruir uma cultura. Basta que as pessoas não os leiam. Os estudantes americanos chegam ao colegial sem saber ler e escrever porque foram mal ensinados. Temos que colocar todo nosso dinheiro e nossos esforços no ensino básico.

Nenhum comentário: