sábado, dezembro 18, 2010

PAS diz quem melhor escreve sobre surfe



O mar é a sua biografia poética, do mesmo modo que é a nossa.
Percorramos a antologia Mar, onde se juntam os seus poemas que têm o elemento marítimo como referência e neles nos descobrimos, surfistas.
Os nossos temas mais marcantes estão todos lá: a presença obsessiva do mar (“Mar, metade da minha alma é feita de maresia”); o espaço dos encontros connosco mesmos (“As ondas quebravam uma a uma/Eu estava só com a areia e com a espuma/Do mar que cantava só para mim”); um território do mundo mas também manifestação do sagrado (“Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim/(...) Que momentos há em que eu suponho/Seres um milagre criado só para mim”); uma exaltação da liberdade absoluta (“Aqui nesta praia onde/Não há nenhum vestígio de impureza,/Aqui onde há somente/Ondas tombando ininterruptamente/Puro espaço e lúcida unidade,/Aqui o tempo apaixonadamente/Encontra a própria liberdade”); o lugar de contemplação (“Foi no mar que aprendi o gosto da forma bela”); e a recondução a um lugar de origem (“O cântico da longa vasta praia/Atlântica e sagrada/Onde para sempre a minha alma foi criada”).


Ele fala da Sophia de Mello Breyner Andresen, pois sim.
O resto do texto voce le aqui - clica e vai, pô!

4 comentários:

Pedro Cezar disse...

Sô fia do mar do sal e do surfe. E do outro lado do Atlântico tenho uma irmã Cecília
"Soltei os meus olhos
no elétrico mar azul
tão cheio de música"

lindo post

ppu

Anônimo disse...

Para todos que por aqui passam, um feliz natal cheio de rabanada (opa!), digo, goiabada...

abraços,

Lobo

Anônimo disse...

Rabanada sim, maravilha culinária da época Natalina, porém não confundir com "Rabada de Bode" ou "Enrabada". Duas coisas perigosas, uma para o colesterol e a outra para o rabiscol.
Merry Christmas and a Happy New Year!
P.A.

Lohran Anguera Lima disse...

Fala, Júlio!
Muito obrigado pela visita e pelo comentário no Near The Ocean.
Um ótimo 2011!
Grande abraço!
Lohran.