quinta-feira, novembro 04, 2010

Luan, Lobo e Andy

[Nessa quinta recebi mais um dos saborosos textos do grande amigo Ricardo Lobo.
O gosto desta vez era diferente e todos sabem porque.
Lobo nos conta uma historia comovente e incrivelmente proxima da nossa realidade.
]


A leve batida na porta da minha casa anunciava a visita de meu vizinho do andar de cima. Luan, 11 anos de idade, entrou perguntando se eu já sabia o que acontecera com Andy Irons. Balancei a cabeça em sinal positivo sem falar nada, percebi que ele precisava desabafar.
O menino estava triste. Com sinceridade de criança e sentimento de adulto, Luan dizia não estar acreditando no que estava acontecendo. Falava da sensação de perder um ente querido, preocupado em não ser compreendido por não se tratar da perda de uma pessoa da família.
Começou a falar da postura de Andy nos tubos, principalmente de back side. Com os olhos molhados, defendeu o estilo de Andy como o mais bonito de todos, que superava até o de Kelly. Falou dos aéreos mais altos. Aproveitei também, para dizer que me impressionava muito a vontade de vencer daquele tricampeão, de como ele conseguia derrubar seus adversários, de como ele trouxe emoção e vida ao circuito numa época que Kelly era considerado invencível. Como um velho marujo, contei ao menino que talvez Andy seja o principal responsável por Kelly não ter abandonado o circuito naquela época. Andy humanizou Kelly ao vencê-lo. Tornou-o uma pessoa ainda mais forte. Kelly sabia que estava ficando mais velho e teria que aprender a conviver com perdas, comuns àqueles que seguem em frente. Andy foi o herói que humanizou o surfe.
Continuamos a conversa, agora ambos com os olhos molhados. Parecíamos duas pessoas amadurecidas da mesma família lamentando a perda de um de nossos entes.
Ele me contou que não conseguiu dormir direito e que pensou no Andy durante todo o dia em sua escola. Que estava se sentindo estranho, pois sabia que o Andy não era uma pessoa próxima. Confessei que estava me sentindo da mesma forma, que isso não acontece apenas com as crianças. Expliquei para ele que isso tudo que estamos sentindo é normal, que o surfe é assim mesmo e que sempre nos levará aos mais diversos sentimentos. Que podemos nos permitir ficar tristes por que estes caras sempre nos fizeram sonhar.



OBS: Luan mora aqui no prédio com sua mãe, a estilista Paloma Saboya. Casada com o músico e surfista Rogê, irmão do habilidoso surfista Rafinha Cury, do Arpoador, Paloma produz algumas peças na Indonésia, o que fez do menino conhecedor da bancada de Uluwatu e freqüentador assíduo das esquerdas do Arpex.








PS - Aqui vai um clipe de presente pro Luan.
Andy mostrando quem manda em Pipe.


13 comentários:

Eduardo Bergquist disse...

Isso é o que o mundo todo está sentindo. R.I.P. ANDY, our hero

André Côrtes disse...

ainda bem que tenho amigos que pensam e sentem como eu. Como é bom conversar com uma criança para entender o que estamos sentindo.
valeu Lobo, valeu júlio, Luan (que eu nem conheço mas, pelo visto, jea ee um menino muito bem criado)

Anônimo disse...

Muito bonito Lobo, Parabéns!
R.O

R.Mellin disse...

Lobo, que coisa boa ler seus textos. de novo, na mosca.
simples e muito bonito. li com olhos marejados.

obrigado por compartilhar!

Anônimo disse...

Excelente o texto Julio, retratou claramente o sentimento de todo surfista em relação a perda do Andy Irons, RIP bro.

Bruno Rozenbaum

Pedro Cezar disse...

Andrezinho de Ferro "humanizou o Kelly". Não tinha pensado sobre isso. é verdade. Belo texto. Valeu Lobão, valeu goiabada!

Edu Moraes disse...

os verdadeiros heróis não deveriam morrer, surfe de luto, mas devemos seguir, como vc mesmo disse, o surfe nos leva a locais inexplorados de nós mesmos, abs!

Paulo de Tarso Duarte disse...

Sensacional, Lobo e Julin.

O sentimento de perda e consternação é geral.
Engraçado isto.

Tão longe e tão perto!

O que o Shuan diz no final das contas em seu código, revela-se verdadeiro...
Somos todos conectados por um Oceano!

Sentimentos a todos e a família Irons!

Anônimo disse...

Caras....é isso aí...MUIIITA TRISTEZA MESMO...Incrivel como todos estão sentindo da mesma forma esta perda ...
Poderiamos usar uma corrente como essa para humanizar tambem o esporte e parar com a marra e babaquice que sempre envolveu o nosso amado surfe com o seu individualismo e ego sempre muito exacerbados....pensem nisso.
Numa hora como essa todo nundo é igual...falo com propriedade pois vou para 30 anos tentando sempre me superar em cima da prancha.
Aloha AI RIP - Aloha para vcs todos tb.
Estou devastado com esta perda.
sds
Sérgio Amaral

Eduardo Jr. disse...

Cara...é exatamente isso!
Estamos todos tristes, e estava me sentindo da mesma forma.
Tb recebi a notícia sem acreditar e quando penso não acredito muito ainda.
Essa foi a pior perda pro surf de que tenho conhecimento!!!
O cara era muito bom!
Nas baterias do site da aspworldtour eu sempre primeiro buscava as baterias dele. Uma pena!
Abs a todos.

Rodrigo Osborne disse...

WHEREVER YOU ARE,
RIDE ONE FOR THE KING.
AIM YOUR HANDS TO THE SKY,
AND SAY THANKS TO AI!!!

R.O

Blackdog disse...

Além de tudo, Andy Irons detém a glória de um ser humano que ousou lutar contra um Deus na sua arena e venceu, em igualdade de circunstâncias.

Andy será o exemplo e a prova de que mesmo um fenómeno como Kelly pode ser destronado por um de nós.

smurf (curitiba) disse...

Oi Julio
Moro em portugal já fazem 5 anos e nunca ouvi falar de Dengue nem algo parecido, afinal com todos sabem, essa é uma doença de latitudes tropicais.
A turma aqui não ficou nada feliz com essa desculpa esfarrapada que a Billabong soltou na imprensa, para abafar outros motivos da morte do AI.
Eu como todos sentimos a morte dele, mas denegrir a imagem de um país com uma notícia estúpida... pera lá!
Portugal é menor que muitos estados brasileiros, praticamente não tem recursos naturais e passa por uma crise FDP! O país depende do turismo e o poder dessa notícia foi parar em todos os principais meios de comunicação da Europa e do mundo.
Me parece muito leviano isto, não?
Escrevo isto porque sou um fã de seus textos e o modo como voce sempre abordou o mundo do surf, sem rodeios.
Abraço, Ricardo"smurf"D'avila Pereira
PS.:tive a oportunidade de te conhecer na casa do camarão, Cavemen vc se lembra?
http://ki-sucos.blogspot.com/