quarta-feira, março 10, 2010

Michael

Recomendo que voce assista esse video em um ambiente tranquilo, silencioso, em tela cheia e som alto.
Chorei pela primeira vez vendo surfe.
Não chorei pelo Michel, que voce verá surfando aqui embaixo, chorei pelos meus dias perdidos de surfe.
Pelas minhas desculpas esfarrapadas.
Pelo tempo que deixei de passar n'água, pela perda do tempo.
Tive inveja da entrega ao mar, da areia no corpo dele, do carro bagunçado, da capacidade de se divertir.
Michael tem uma relação com ondas que eu não tenho.
O fato curioso é que ele escolheu justo o lugar onde, 30 anos antes, acidentou-se e perdeu os movimentos das pernas - onde ele mesmo diz não saber como evitar, um dos lugares que mais gosta de estar em todo mundo.
Hoje eu chorei pela primeira vez vendo surfe e minhas lagrimas nunca foram tão doces.
Tirado daqui

BIRTHRIGHT from Sean Mullens on Vimeo.

14 comentários:

Anônimo disse...

grande sugestão !!!!!!!!

Cabo Frio Surf disse...

Inspirador.

pano pra moda disse...

Isso me lembra que nossos olhos apontam pra onde nossa alma permite. Um espírito livre e capaz supera qualquer limite, ou limitação, até aquelas impostas pelas adversidades que se instalam sobre o corpo. De que serve pernas se seu dono não quer sair do lugar?
Um beijo,um queijo e goiabada!

FUN disse...

Incrível!!!!!! vlw pela postagem do vídeo!!!!!!

Anônimo disse...

Não sei nem oq dizer!!! Oq estamos fazendo da nossa vida??

Valeu pela inspiração... com certeza, pelo menos hj... todos vamos ver o horizonte um pouco diferente!!

Lucio disse...

Belíssimo vídeo!

Edu Moraes disse...

inspirador pra todas as pessoas, e pra quem surfa, sabe o sentimento extra! gde abraço!

SurfOnLine disse...

Open your mind!
Se você quer, você consegue.
Se você quer, você não reclama.
Se você quer, você faz. Inspirador, emocionante e uma grande lição de vida para todos nós. Coloquei o vídeo e suas palavras lá no blog também. Belíssima Goiabada!!
Abraço aí mestre!

Anônimo disse...

Julio,

Muito lindo!
Lagrimas doces como goiabada.

abraço
Lobo

Anônimo disse...

Tô tendo problemas pra ver o vídeo, sempre congela, já tentei ver direto no vimeo e tb não funcionou.. já vi vários vídeos lá, alguém poderia ajudar...

Gracias!

Anônimo disse...

Valeu Julin!
Abraço da Guerda.

Felipe Siebert disse...

pra mim, este vídeo é a maior tradução do sentimento que tenho e o que eu sinto sobre o surf...

quando eu chego la na praia que tenho casa no farol de santa marta, no inverno num dia de semana... só eu e a prancha e altas onda. Tem hora que dá até uma agonia de estar sozinho la no fundo com um sorriso na cara e nao ter com quem compartilhar toda aquela felicidade... é difícil descrever...

Anônimo disse...

Muito bom, quanta deteminação.
Tem outros exemplos de superação, mas o vale à pena assistir o "uma luz no fim do túnel" no Youtube.

Cristiano Morley disse...

Grande Júlio! Pequenos detalhes fazem parte da nossa vida, te completam, somam, fazem com que vc seja diferenciado da maioria. E sabe o q me faz e me tornou um ser humano diferenciado e especial? O amor pelo mar, o ser surfista. Atualmente estou morando em Araçatuba, interior de São Paulo e todos os dias fico surfando na cuca, ás vezes dói, ás vezes me torna especial - ninguém sabe o que é surfar pela mente. Sabe o q me dói tanto? É lembrar daquele crowd no Arpoador e dizer: putz, que merda, não vou cair. Na boa, daria tudo para ter aquele crowd me enchendo o saco de novo!
E lendo há muitos anos atrás um texto seu naquela revista de bolso, a Surf link, vc colocou em um título, a frase: o entrar no mar. Que falta sinto daquele que para alguns é uma atitude normal. O tão simples, mas que me motiva a viver...o entrar no mar.
Aloha Júlio, belo post!