sexta-feira, janeiro 09, 2009

Lewis existe

[Let’s talk about the Surfline side of it. Can you tell us how much of your writing is actually toned down or changed? I know I’ve given you a hard time about being particularly easy with some surfers and you’ve told me it’s more Surfline then you.
Well, I have an editor, just like everyone else who writes for a major player. A fair bit of stuff gets cut out because it’s deemed to be too controversial or offensive. Some of it probably should be cut, and I’m sure I’d have even more people angry at me if the uncensored versions were printed.


The thing I argue about is when stuff I write on the Hawaiians and top surfers with powerful sponsors gets cut, while I can say gnarly stuff about unsponsored Brazos without it being cut. I think you have to be consistent, and not protect guys. But Surfline has a right to protect their relationships with advertisers. Especially in this economy, no one wants to lose revenue.]

Muita gente compara Lewis ao Derek hynd.
A diferença principal é que o ciclope citava Dostoievsky na resenha anual da Surfer e Samuels cita Zoolander no Power Ranking.
Ainda assim, é o que melhor há sobre o WCT na grande rede, logo abaixo do Nick Carroll.
Ao menos tem humor, tão raro...
Clica no titulo e leia o resto la no blogue do Hobgoods.

9 comentários:

Giovanni Mancuso disse...

Estamos nos repetindo...hahaha!
[]s
GM

4x4 disse...

Imaginem se a 4Rodas vai falar que os carros da Ford são uma merda, enquanto a maior fonte de renda é proveniente da mesma Ford?

comedor de mulher da esquina disse...

Calma ai: no quesito competição WCT e atitude havaiana, dá pra não falar mal dos nossos? O unico que se salva em competição é o Mineiro.

Gnarly mesmo é uma brasileirada que fica no HA se jogando, feito o Sthepan Figueiredo. Essa turma tem espaço no surfline, com ou sem patrocínio.

Agora sobre falar bem de quem não valhe muito o que surfa, é normal. Isso acontece no nosso esporte, nos outros esportes e em toda revista que depende de anúncio.

Alguem viu uma sem propaganda?

Fazedor de Filme da Esquina disse...

desse jeito o tal Lewis conseguiu uma boa justificativa pra disparidade dos comentários sobre os pernas de pau brasileiros e os pernas de pau gringos.

mas fica difícil saber o que o cara de fato escreveu e o que o editor censurou...

em todo caso, como bem disse Tio Juio, pelo menos as resenhas são mesmo bem humoradas. já é um começo.

PS: aparentemente, tem gente fazendo coisas na esquina bem mais legais do que eu...

Anônimo disse...

Tem uma grande diferenca entre o Hynd e esse malandro da Surfline. O Hynd pegava (pega?) altas ondas. Se jogava em Sunset e ao redor do mundo. Estava dentro d'agua para fazer o seu "research". Ja esse cara ai... Quem e ele? Surfa? Para mim nao tem credencial para falar de ninguem... O Nick Carroll por exemplo e fera braba. Surf de qualidade no Hawaii... Lewis?... Nunca vi dentro d'agua...

Bodhi disse...

Dos jornalistas gringos de surfe, o Lewis é o cara. É o mais engraçado de todos e manda bem nas análises. Tem coragem na hora de escrever, é dos poucos que critica os "semi-deuses" do esporte, foi o único que li uma crítica pertinente sobre a vitória do Slater em Trestles este ano, apesar da vitória ter sido merecida, na minha opinião.

Giovanni Mancuso disse...

E o cara pega as ondas. Vão lá no blogue dos Hobgood e leiam a entrevista com o Lewis. Tem várias fotos dele surfando bem direitinho...
[]s
GM

Kaled disse...

O cara manda bem. A mídia de surf tá precisando de alguém com maior senso crítico e menos rabo preso do que os que andam escrevendo por aí. O cara esculacha os brasileiros msm, mas e daí? Ele dá crédito a quem mereceu este ano, como o Heitor, o Mineiro e o Bruno Santos.

Anônimo disse...

Depois dessa entrevista, não precisa dizer mais nada sobre a diretriz da mídia americana, que manda esculachar mesmo a brazucada.
Agora, palhaçada mesmo, é os caras censurarem o Lewis quando ele quer falar as verdades sobre os queridinhos como: Taj, Joel, Mick e Andy (nesse caso os patrocinadores não permitem, senão é rua).
O cara esculacha sem dó, mas é claro que com isso arrumou desafetos no mundo inteiro.
Abraços,

Bruno - RJ