quinta-feira, março 27, 2008

Os sinos


Bate o sino pequenino...

Snapper foi divertido, quase sem emoção. Um pouco pelas ondas e um pouco pelo clima solar do campeonato.
Bells é diferente.
Os sinos tem muitos humores e quase sempre temos dias medíocres. Bells precisa de uma bela ondulação para sorrir, como Mundaka ou J. Bay, mas o que Bells tem e que suas irmãs não tem é história.
Cada pedrinha ali já testemunhou coisas incríveis.
Por exemplo, a corrida dos fãs do Occy pelados pelas areia ou a incrível final entre Slater e Pottz em 94. Ou a vitória de Hackman sob efeito do LSD em 76. Richie Collins saindo de maca no meio da bateria final e vencendo.
A ainda inagualável e arrasadora estréia do menino Nicky Wood em 1987, batendo Curren no auge - no primeiro auge.
Bede apareceu pro mundo ali (ou melhor, Johanna), em 2005, quando bagunçou o coreto deixando Slater em 17 numa bateria de resultado duvidoso e que, segundo o próprio KS8 foi a motivação para a arrancada ao sétimo título mundial.
Quem lembraria disso ?
Slater, posso apostar.
O Bells de 2008 foi um dos eventos mais empolgantes em muitos anos. Toda sorte de condições testaram os 45, que na verdade se resumem em 5 ou 6.
A entidade Dane/Jordy se dissolveu e Dane, por mais que se esquive dos holofotes, brilhou intensamente e deixou claro que não será apenas um visitante deslumbrado.
Sempre impliquei com Dane Reynolds, seu filme é chato, suas ondas parecem sempre iguais com piruetas que o coroa aqui ainda não digeriu bem e toda histeria em torno dele me aborrecia profundamente. Isso sem falar no estilo um pouco espalhafatoso e uma base exageradamente aberta para voar melhor.
Como gosto de estar errado!
Em Snapper Dane já tinha surfado com abandono e segurança, duas de suas manobras estavam entre as mais vistosas de todo evento, faltava ritmo nas baterias.
Dane quase foi o surfista do evento em Bells.
Quase.



Contra Cêjota, Reynolds não surfou como nos filmes, nem nas revistas. Surfou mais.
Foi um desses momentos definitivos na história do surfe profissional quando um camarada mais jovem destrói a reputação de um mais velho e rompe com uma linha do tempo: aqui entro eu.
Dane surfou com linha, com força e com sua esperada criatividade. Não fosse por Kelly, Dane seria o surfista que mais empolgou em Bells.
Taj Burrow parecia realmente assustado com o resultado da sua quarta de final contra Dane.
Na sua melhor onda, locutores gritando como galinhas, TB disperdiçou toda parte boa e manobrou no rabinho para receber uma nota no mínimo estranha.
Dane aparentava pena do assombrado Taj.
Taj estava apavorado com a possibilidade de enfrentar Slater- ou Andy!
E quem não estava ?
Andy, supostamente não ?
15.34 x 2.80
Andy ainda não parece ter superado sua fase de mero top 6.
Andy venceu 5 eventos em 2003, 4 em 2002 e desde então todo ano vence ao menos 2, exceto por 2007, um ano escuro...
O fogo está lá, AI precisa de um campeonato para ressurgir (alguem disse Teahupoo ?).
Mick Fanning continua sua ridícula consistência iniciada na segunda metade de 2006 e não tem pinta de quem vai enfraquecer tão cedo.
Parko, ah Parko e seus quases...
Enquanto sucumbir diante de surfistas medianos e competitivos como Bede, Joel não pode querer nada alem do top 5.
Durbo é uma incógnita pra mim, ou pior: um enigma.
Na minha opinião, Bede resvala num Glen Winton (sem a coragem ou a colocação de tubos), ou um Macaulay, talvez um Rob Bain, na falta de um regular para comparar.
Ou seja, falando mais claro com a turma abaixo dos 30, Bede é um sujeito limitado com uma enorme força de vontade, pronto.
Nota - Bede teve um 2007 excepcional e coincidentemente foi o pior ano de ondas em quase 30 anos de circuito. Vejamos o que acontece com Bede em Fiji e Teahupoo se as ondas estiverem, bem... vejamos.
Slater fica perturbado com Bede, confessou - um dos poucos que o perturba (ai 2005...).
Que campeonato foi Bells!
Ondas volumosas e grandes, ondas cheias e médias, ondas pequenas e divertidas, ondas mexidas, ondas perfeitas.
'Pra ser sincero, prefiro Bells com maral', disse Slater quando saiu da Semi.
Fica mais fácil de atacar o lipe.
Foi assim em 94, 14 aninhos antes.
A brasileirada não foi mal. Neco teve atuação destacada até cair diante dum Parko insolente (quisera Parko ter essa insolência contra Bede...), mas teve uma excelente bateria contra T. Knox.
Pedra teve a falta de sorte de encontrar A.I....
Jihad teve toda sorte do seu lado contra Léo Neves e posso apostar que se competirem novamente naquela mesma condição 30 vezes, Léo vence 29.
Mineiro começou 2008 com muita vontade, cada vez mais me lembra um Sérgio Noronha modernizado. A mesma energia nas manobras, a mesma dramaticidade e o mesmo ânimo para passar baterias.
Falta borda, volume na onda e definitivamente falta estilo, elegância.
Nada disso parece o impedir de tirar excelentes notas.
Pode surpreender nas esquerdas se não relaxar.
Jimmy Slade resolveu voltar ao jogo.
E seu domínio de todos detalhes da cancha é surpreendente.
Na entrevista depois da bateria contra Damien H., Slater falou com tanta propriedade do julgamento, das suas ondas e das do Hobgood. 'Eu e Damien falávamos sobre as notas lá fora, acho que meu 6 foi muito próximo do meu 8 e Damien achou que sua última onda foi mal julgada em relação à outra...'.
Pô! digo eu, quem mais é capaz dessa frieza para analisar cada minuto passado competindo ?
Slater estava atento aos seus adversários tambem.
'Dane é o melhor surfista do mundo hoje. Seu repertório é melhor e mais completo do que qualquer outro surfista no WCT. Ele nos faz querer surfar melhor.'
E ele surfou.


Por que ?


Ninguem surfou como Slater em Bells, nem Winkipop.
Toda bateria era uma chance de mostrar o quão distante ele está de todo resto (exceto, talvez, Dane ?!).
Contra Jihad, Kelly parecia um novato empolgado e Jihad um veterano cansado.
Num ano em que toda imprensa tinha novos alvos e toda certeza do mundo que chegara a hora da renovação, Slater se reinventa e aponta pra frente.
16 anos depois do seu primeiro título mundial, 20 anos depois da sua estréia no circuito, Slater nunca esteve tão na frente da fila quanto em 2008.

24 comentários:

Anônimo disse...

E', mas, nao da' para negar um empurraozinho da comissao julgadora em sua ultima onda na final.
Mesmo assim prefiro um Slater tocando o sino que um Bede.

Anônimo disse...

Desculpa mas a última onda foi genial! Dar mérito a manobras arrojadas e que se ligam a outras manobras é fantástico de ver.

Obrigado Júlio pelo texto, fantástico como sempre.

Miguel Bordalo

Anônimo disse...

concordo, mas 8.30 foi un pouquinho demais, aquele pouquinho que permitiu ele ganhar.

Francisco disse...

Ótima resenha!!!!!!

Anônimo disse...

Eta texto bom , o mundo eh dos carecas.. sleite na agua e julio na caneta abraço tuninho dos birinight

Anônimo disse...

Julio,
Ainda acho o Jordy mais surfista que o Dane!
Mas todos nas pegadas do Carlos Leite...

Diego Gobatto

Anônimo disse...

Não sem motivo, Young Guns II fecha com a performance do Careca.
Muito mais do que a simbologia barata do clichê "vetereno ciceroneando seus pupilos que o têm como ídolo", ou "mudança de guarda - o mestre que abriu os caminhos". Muito mais que isso...
Quem tem olhos de ver vê que Carlos Leche, aos 30 e vários, destrói, com mais velocidade, borda, força, estilo, calma e serenidade do que todos os outros integrantes (moleques) da barca. Uma sacada genial e de certa forma humilhante: espera-se até o final para se saber quem são os coadjuvantes e quem é o protagonista. A modernidade é o cara. Ele dá as cartas, e começou a fazê-lo há uns 16 anos.
Somos contemporâneos de um monstro.

Gabiru

Viva La Brasa disse...

Concordo c/ o Gabiru e gostei muito da resenha do Marreco Masta Killah. Slater é gênio e pronto, tipo Pelé, até qdo estiver gagá ele ainda será "o cara". Ninguém surfa igual a ele, aberração mesmo. Sem falar que TODA a nova escola (e aí vai desde Andy, Taj, Mick e Parko até Neves, Dane, Jordy e Mineirinho) é influenciada por ele e, mais importante, ainda não o superou. Sempre achei o estilo do Reynolds meio feio, mas discordo do Julião sobre o Bede. O cara surfa muito, manda aéreos, rasgadões e sabe entubar. Além disso, nunca foi incensado pela mídia como seus manos da Gold Coast, já bateu o Slater numa final de CT na Califórnia e ano passado, sem comentários. E este ano tá aí de novo, vice-líder do ranking na frente das estrelas. Comparar c/ o surf previsível do Dave Macauley foi sacanagem. Sou do tipo que torce pro azarão, mas qdo o Slater entra numas de fazer a rapa tb é ducaralho. Longa vida ao bastardo!

Maurio Borges disse...

Alguém aí sabe me dizer se o Andy Irons conseguiu anotar a placa do caminhão!!!!

Mais um texto daqueles hein, Marrecone!!!

Vê se aparece por lá, né ô istepô!

http:maurioborges.blogspot.com
Surfe Todo Dia

Carlos Fernando disse...

Passou desapercebido pela excelente cronica, a aula tatica competitiva que slater deu em taj nas semis. Taj tinha a prioridade e nao foi numa da serie na qual o careca que estava posicionando mais no "out" dropou e quase atropelou o amarelão, que inves de ir na onda, pois a prioridade era sua, paraceu se assustar ! Foi de dar risada. Quanto a Bede é um bom surfista em direitas longas e só. O maluco Glen Winton não merece tal comparação. Já dane executou a manobra do campeonato nas quartas dando um RASGADÃO com muito POWER que me fez levantar da cadeira. Fora o extra-terrestre foi o que mais me imprecinou no campeonato. Muito bem observado pelo julio uma onda do taj nessa bateria, onde ele na melhor onda que entrou nos 30 minutos não a surfou, mesmo quando "ela" pediu pro favor me bate, taj fugiu nitidamente do lip para espancar seu rabo.
Parko já manifestei minha opinião em outras oportunidades é o rob machado astraliano, falta sangue no olho.
Já o nosso atual campeão mundial tá começando a me incomodar..surf SEMPRE IGUAL, podem reparar, e tem outra apesar de ter nitidamente evoluido em esquerdas tubulares, não podemos esquecer que no ano do seu titulo não teve fiji e teahopoo foi ridiculo. Quero ver esse ano se der onda. Andy é um caso a parte parece estar sentindo a pressão, coisa impensada no seu reinado. A combi que tomou do careca em snaper com direito a onda surfada de base trocada pelo seu maior adversário parece que não foi digerida, não tem explicaÇào sua ridicula atuação contra slater em bells. Eu faria uma pontuação maior. Ninguém na história do surf, nem os limitados tem a um décimo da competitividade do SLATER, ele uniu a genealidade com a agressividade competitiva para se tornar um......não tem mais adjtivos todos já foram dados. O que explica um cara de 36 anos multi milionário que já ganhou tudo e mais um pouco ficar ainda querendo mais?

Anônimo disse...

Belo texto Julio !!!!
O Kelly é phoda mesmo!!
Me lembra o Agassi , um pouco antes de pendurar a raquete ele com 30 e varada sapecava todo mundo , os moleques todos... Ganhou tudo e ganhou de todos.
E também é careca!!

Lucas disse...

o andy foi de kombi para casa !
sensacional !!!

Anônimo disse...

Porra Júlio, como sempre, o melhor texto disparado entre todas as mídias especializadas em surf. Assim como o SL8 na água, nos textos neguinho não chega nem perto.
Realmente, o careca não está um passo a frente de todos, ele está a milhões de anos luz a frente, e ainda fica naquela sacaneando todo mundo dizendo que está só de curtição, neguinho no circuito deve estar muito na relca mesmo.
Concordo com o Carlos Fernando, o surf do macaco albino já encheu o saco, é sempre a mesma rasgada e vagabundo ainda fica zoando o Neco, o cara também não muda, já deu.
Os caras tão assustados mesmo com o Dane, o muleque tá quebrando.
E esse idiota do Jordy Smith, achava que ia tirar onda com todo mundo, tá todo fudido e cagado, o pessoal da o'neill já deve tar com a pulga atrás da orelha.
A Billabong que se deu bem de mandar aqule caixão vazar.
O mineiro tá mandando bem, só que fala merda sem parar, mandou que o estilo do Fabinho não era bem visto pelos juízes, se encherga porra.
Valeu Júlio, continue detonando nos textos.
Abraço.

Bruno - RJ

Bodhi disse...

Ae anonimo 1 das 6:09 AM, não sei se voce viu o campeonato ao vivo, mas aquela onda do Bebe na final que ele tirou 8.83 também teve um empurrãozinho dos juízes né brother! Ou você acha que umas rasgadas, um floater e uma finalização valem tudo isso? E quanto vale um surfista arriscar mandar um aéreo perfeito, alto pra cacete, segurando as duas bordas no ar, no começo da sua última onda na bateriafinal? Pra mim 8.30 foi pouco.

O mais manero no surf do Durbo é a gana de vencer superando as adversidades queenfrenta. Não tinha patrocínio até pouco tempo atrás, teve até que hipotecar sua casa pra poder correr o circuito (que deve ter conseguido pagar com as vitórias).
É um surfista loiro, alto, tem olhos azuis, é australiano e portanto fala inglês, ou seja, faz parte daquilo que o mercado consideraria "rentável". Mas na verdade não é bem assim. Para os cínicos de plantão calarem a boca, temos aí um belo exemplo que o mercado não é tão racista assim como alguns apregoam. Se não já teriam feito uma mobilização para garantir alguns trocados de patrocínio ao loiro orfão.

O complicado do julgamento é a parte subjetiva. É óbvio que o slats além de surfar com mais pressão e jogar mais agua, tem mais estilo que os demais. Quando surfa numa bateria contra um surfista "casual" como o Durbidge (que me lembra o Cory Lopez) isso fica ainda mais nítido. A linha de surf do slater é quase perfeita. Isso porque o estilo dele "piorou" nos ultimos anos. Pra mim a fase de ouro foi no final dos 90, em 95, 96, 97 e 98. Surf limpo, bonito e eficiente.

Mesmo assim o cara hoje ainda ganha e esculacha geral com um surf ultra moderno, com direito a aereo 360, alley up e double grab na ultima onda. Ou seja, quem tá surfando moderno é o careca balzaquiano e não os grommet do tour. Aliás, concordo com o Diego Gobatto aí de cima, também acho o Jordy mais surfista que o Dane, só que em Bells, Dane Reynolds mostrou a que veio, Jordy ainda não. Os elogios rasgados do Kelly pro Dane podem ter uma pitada de patrocínio em comum, mas em grande parte acredito que o cramulho esta sendo sicero. Só não vejo o mesmo surfista que o cramulho.

Tem um malandrinho na surfline que comenta o tour e que 11 em 10 competidores brasileiros odeiam, com toda razão, porque o cara sempre esculacha os brazos.
Aliás, ele deixa bem claro o quanto há um certo preconceito subjacente em relação aos brasileiros. Se é pela falta de educação dos brasileiros, pela falta de ondas de qualidade aqui ou por simples racismo (ou regionalismo) não sabemos, mas o fato é que existe sim uma animosidade contra nós que o tal do Lewis não se esforça nem um pouco em esconder.
Enfim, esse cara falou que só falta um recorde pro slater alcançar: maior número de etapas conquistadas em sequência. Parece até que foi o curren que mandou um email pra ele avisando sobre isso...

Anônimo disse...

Caralho, Marreco!

Os comentários se tornaram quase um grupo de discussão... Bom pacas. Fiquei pensando aqui com meus botões que se os canais de teve e as revistas de surfe ao invés de colocar uma cambada de idiotas, chamassem uma turma da pesada, talvez a reação fosse a mesma do seu Blog e o surfe, aos pouquinhos, deixava de parecer um esporte de adolescentes pixadores...

O texto realmente é muito bom! e os comentários estão ótimos.

viva o Blog do Julin!

Dinho Amaral disse...

Eu se fosse surfista do WCT mandava matar o Kelly Slater...só abatendo a tiros...o cara é um monstro...ele vence por ser o melhor surfista , e vence por ter uma capacidade de entender o que é necessario para acabar mentalmente com o seu adversario...a pressão é enorme...todos parecem crianças chupando pirulito ... o melhor comentário que eu vi foi de um amigo meu que não pega onda... esse cara é um mutante...

Dinho Amaral disse...

Eu se fosse surfista do WCT mandava matar o Kelly Slater...só abatendo a tiros...o cara é um monstro...ele vence por ser o melhor surfista , e vence por ter uma capacidade de entender o que é necessario para acabar mentalmente com o seu adversario...a pressão é enorme...todos parecem crianças chupando pirulito ... o melhor comentário que eu vi foi de um amigo meu que não pega onda... esse cara é um mutante...

Dinho Amaral disse...

Eu se fosse surfista do WCT mandava matar o Kelly Slater...só abatendo a tiros...o cara é um monstro...ele vence por ser o melhor surfista , e vence por ter uma capacidade de entender o que é necessario para acabar mentalmente com o seu adversario...a pressão é enorme...todos parecem crianças chupando pirulito ... o melhor comentário que eu vi foi de um amigo meu que não pega onda... esse cara é um mutante...

Viva La Brasa disse...

É isso, Slater na água & Marreco nas teclas, fuckin´ freaks! Ninguém chega nem perto.

Bodhi disse...

Anônimo 8:55 PM, você tem toda a razão, falta um programa de qualidade sobre surfe na tv. Um dos melhores que já vi foi esse aqui, "Debate e apostas para o WCT 2008" neste link para quem quiser ver também: http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/Surfe/0,,MUL307054-7497,00.html
Destaque para o sempre bem na fita Teco, com seu carisma, opiniões sinceras e conhecimento de causa, e do Rosaldo, que mandou a real também, inclusive no caso jihad que ninguém falava nada. Vale a pena ver.
Enquanto que futebol tem pelo menos trinta programas periódicos, o surfe não tem nenhum exclusivo, que só trate de surf e que seja realmente bom, com pessoas que "entendem do riscado" pra citar o Julio. Porque não fazer o proximo debate com a ilustre presença do marreco?
Fica a sugestão
Aloha

Giovanni Mancuso disse...

Júlio, não tô nem aí por soar repetitivo: onde eu assino?
Impressionante...
[]s
GM

luiz disse...

O problema do Parko tá na cabeça e não no pé. Acho que nas baterias contra caras mais fracos ele fica displicente, achando que vai ganhar fácil. É o típico caso do time que com a cabeça no clássico do domingo acaba tropeçando contra o time pequeno no meio da semana e acaba se complicando. Já o Kelly e o Fanning vão com sangue nos olhos seja contra o cara do meio do ranking ou o do topo da tabela. Acho que o Andy Irons ainda vai acordar e vai botar fogo na temporada...

Anônimo disse...

Julin

jornalismo de invenção; opinião de verdade

ppu

Nico disse...

o tour promete muito este ano e seus comentarios continuam como sempre, muito á frente, depois desse a fasquia vai continuar alta...
venha dai um mar de gala pra teahupoo...
Abraço