domingo, julho 04, 2004

Sophia de Mello Breyner Andresen 1919-2004


Sophia Lua, Sophia Mar, Sophia “praia inicial da minha vida”


'Quando eu morrer voltarei para buscar
Os instantes que não vivi junto do mar'

Sophia de Mello Breyner Andresen 1919-2004

Um comentário:

Anônimo disse...

Se a distância é de um imenso oceano, as palavras de Sophia aproximam quem gosta verdadeiramente do mar, aí, como aqui, como acolá, em todo o mundo que fala português e respira mar por todos os poros.
Não há distâncias de oceanos que separem a força das palavras de Sophia e daqui, da lusa terra, um abraço para quem daí faz ecos deste som do mar, que é a poesia de Sophia.
MCG